Mais de dois mil hectares ardidos no incêndio em Castro Verde

0

No combate às chamas ficaram feridos cinco bombeiros, dois dos quais ficaram em estado crítico.

O incêndio agrícola que deflagrou na segunda-feira no concelho de Castro Verde (Beja) e dominado hoje de madrugada devastou uma área estimada em mais de dois mil hectares, disse o comandante dos bombeiros locais.
Vítor Silva adiantou esta terça-feira à agência Lusa que o incêndio destruiu uma área de pasto, seara e mato, ficou dominado às 02:22 e estava durante a manhã em fase de rescaldo.

No combate às chamas ficaram feridos cinco bombeiros.

Dois bombeiros feridos com “muita gravidade” no incêndio, que sofreram queimaduras, ambos da corporação de Cuba, foram transportados de helicóptero um para o Hospital de Santa Maria e o outro para o Hospital de São José, ambos em Lisboa, indicou o comandante dos bombeiros.

Outros dois bombeiros, que sofreram ferimentos ligeiros, um da corporação de Ferreira do Alentejo e outro de Castro Verde, foram ambos assistidos no local.

O quinto ferido, também ligeiro, é um bombeiro da corporação de Alvito, que foi transportado para o Serviço de Urgência Básica (SUB) do Centro de Saúde de Castro Verde.

O incêndio chegou a mobilizar 165 operacionais, com o apoio de 60 veículos. Durante a tarde de segunda-feira estiveram também envolvidos três meios aéreos no combate.

A Estrada Nacional 2 foi cortada ao trânsito entre Castro Verde e a localidade de Carregueiro e o Itinerário Principal 2 entre a povoação de Entradas e Castro Verde, tendo ambas reaberto ao trânsito na segunda-feira à noite, indicou fonte da GNR.

O alerta foi dado às 17:07 de segunda-feira, tendo o fogo de “grandes dimensões” deflagrado em Lagoa da Mó, perto de Casével, concelho de Castro Verde, referiu o Comando Distrital de Operações de Socorro de Beja.

A GNR vai investigar as causas do incêndio, segundo fonte da força de segurança.

Cerca da 3% da área da Reserva da Biosfera da Unesco em Castro Verde ardida
Cerca de três por cento da área da Reserva da Biosfera da UNESCO em Castro Verde (Beja) ardeu no fogo que consumiu dois mil hectares no concelho, uma zona de proteção especial de aves, foi hoje revelado.

Em declarações à agência Lusa, Rita Alcazar, do Centro de Educação Ambiental do Vale Gonçalinho e da Liga para a Proteção da Natureza (LPN), explicou que, embora seja uma “estimativa ainda preliminar”, o incêndio terá afetado “à volta de dois mil hectares da Reserva da Biosfera, ou seja, cerca de 3% da área da reserva”.

O incêndio no concelho de Castro Verde, distrito de Beja, que deflagrou em Lagoa da Mó, perto de Casével, foi dominado às 02:22 de hoje, depois do alerta dado às 17:07 de segunda-feira e alastrado a áreas de pasto, mato e seara.

Fonte: Correio da Manha / LUSA

About author

Paulo Reis

Paulo Reis

É natural e residente em Esmoriz, a sua vida profissional está ligada à indústria automóvel nestes últimos 25 anos como CAD Designer. É um dos fundadores da Rádio Voz de Esmoriz, onde apresentou o programa de rádio “Bombeiros em Missão”. Está ligado desde tenra idade aos Bombeiros de Esmoriz onde fez parte da orquestra do Grupo Cénico e hoje, ocupa o posto de Subchefe. Foi responsável pelo Grupo de Comunicação & Imagem dos BV Esmoriz e integrou a equipa do portal bombeirosdeportugal.com. É o responsável do Departamento de Relações Públicas do portal Bombeiros.pt