Um dia os bombeiros serão assim? Walk-Man apresenta-se!

0

A importância dos bombeiros em todo o mundo é evidente, pois são os primeiros a “correr” na direcção de qualquer catástrofe.

Assim, os bombeiros são um dos elementos mais acarinhados pela sociedade civil, que os vê como essenciais para salvar pessoas e bens em caso de incêndio ou mesmo o socorro a animais, quer estes estejam presos numa árvore ou num buraco. Há, porém, teatros de operações onde a presença dos bombeiros é extremamente limitada, pois são humanos e possuem limitações que os impede de entrar num prédio prestes a desmoronar ou numa zona de impacto nuclear. Tendo tudo isto em atenção, as soluções que surgem vão no caminho da robótica.

A DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency) promoveu até 2015 um desafio de robótica que incentivava a criação de robôs capazes de executar tarefas complexas em ambientes degradados e perigosos. Neste programa de desenvolvimento robótico, destacou-se o Instituto Italiano de Tecnologia (IIT).

O ITT desenvolveu o “Walk-Man”, um robô humanóide que foi pensado para participar no desafio da DARPA e que vem sendo melhorado tendo em vista situações reais de perigo.

A última versão (que apresentamos no vídeo seguinte) possui uma estrutura de liga de alumínio e magnésio, com titânio em alguns componentes, fazendo com que pese 102 kg. Para se perceber bem a dimensão da evolução no desenvolvimento deste robô, foram eliminados 31 kg em relação à primeira versão, o que o tornou mais ágil e mais equilibrado.

 

 

Também ao nível da autonomia houve melhorias. Foi utilizada uma nova bateria de 1 kWh, mais pequena do que a anterior, mas que faz com que haja uma melhoria na eficiência geral que garante o seu funcionamento durante 2 horas. A diminuição no tamanho da bateria, aliada à colocação de novos controladores na parte superior do corpo, fez que ele ficasse mais esguio, facilitando a sua passagem pelas portas.

Outro grande desenvolvimento foi a implantação de uma mão biomórfica chamada 19-DoF, desenvolvida em conjunto com a Universidade de Pisa. Ela pode segurar uma grande variedade de objectos e os seus braços têm força suficiente para segurar um objecto com 10 kg durante mais de 10 minutos.

O “Walk-Man” foi colocado à prova numa situação de acidente industrial originado por um terramoto. Este acidente originou incêndios e a libertação de gases. Este tipo de ocorrências desaconselham, diz o protocolo de segurança pessoal, a busca e salvamento por sobreviventes devido aos altos riscos, mesmo que se use equipamentos de protecção individual

 

 

 

(Portal Bombeiros.pt com TecMundo)




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).