SmartForest: monitorização em tempo real da floresta portuguesa

1

A monitorização constante das florestas é entendida neste momento pela comunidade científica como um dos factores essenciais para a manutenção de ecossistemas equilibrados e responsáveis.

Apostando neste princípio, um conjunto de investigadores portugueses decidiu lançar mãos à obra e apostar em medidas que têm mostrado bons resultados nos Estados Unidos da América (ver SMART FORESTS for the 21st century).

Em comunicado enviado ao Portal Bombeiros.pt, os investigadores avisam que o impacto anual dos incêndios florestais na floresta portuguesa e na própria sociedade fez com que eles tomassem a “resolução de pôr mãos à obra”.

Iniciaram, então, um percurso de orientação criativa do seu potencial para criarem soluções que melhorem  a monitorização da propriedade florestal e os mecanismos implicados nessa monitorização e no consequente alarme.

Diz a equipa de investigadores está neste momento a concorrer no concurso Acredita Portugal de forma a conseguir o financiamento para a efectiva aplicação e teste do seu projecto, que pretende ajudar os proprietários florestais criando soluções de monitorização.

Este projecto SmartForest irá permitir que os proprietários de parques florestais (público ou privados) consigam fazer a monitorização em tempo real da(s) sua(s) propriedade(s), podendo obter informações que lhes permitam antecipar as condições ambientais propícias à ocorrência de incêndios. Numa sucessão informativa, esta antecipação de dados levará à criação de um alerta gerado pelo sistema que identificará as zonas (temporais e espaciais) críticas e permitirá a mobilização de acções que protejam a pr0priedade (seja na mobilização do dispositivo de prevenção ou na mobilização do dispositivo de combate) e o seu valor económico e natural.

O sistema utilizado por este grupo de investigadores para a monitorização de florestas será constituído por redes de sensores (de baixo custo) de temperatura, de humidade e de monóxido de carbono, para além de aplicações (software) que permitam e garantam o acesso à informação a partir de instrumentos móveis, permitindo aos proprietários o conhecimento integral de todas as informações numa pequena fracção de segundos.

Como pontos mais positivos da sua investigação até ao momento, esta equipa garante que o SmartForest proporcionará:

  1. Aviso imediato de algum incêndio na zona a monitorizar;
  2. Monitorização da zona a proteger em tempo real;
  3. Baixo custo de instalação e manutenção

Sendo um projecto ainda em execução, todos os proprietários e conhecedores das necessidades reais de defesa e monitorização da floresta poderão colaborar na sua melhoria. Para isso, basta preencher o questionário que se encontra no seguinte link: https://goo.gl/0GyJ1Y

About author

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011.
A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).

  • zeca

    mais tretup d mrd, metam o inglês na peida!