Q400-MR: o preferido dos franceses no rápido ataque aos Incêndios

0

Com uma esquadra de combate a incêndios envelhecida e assente em Canadair CL-215, o governo francês decidiu este Verão anunciar o investimento em mais dois novos aviões, tendo já escolhido os modelos da família Dash 8, os Bombardier Q400-MR, como os preferidos para essa renovação.

Há, nos dias de hoje, uma noção clara de que as mudanças climatéricas e o abandono dos espaços rurais são o principal motivo para o aparecimento e consequente desenvolvimento de Grandes Incêndios Florestais (GIF). Os especialistas na área falam mesmo na probabilidade de os Mega Incêndios Florestais (MIF) serem uma realidade nos próximos anos (incêndios como os que ocorreram na zona centro de Portugal, principalmente o de Pedrógão Grande, contendo comportamentos extremos e erráticos que potenciam o incêndio e tornam impossível qualquer tipo de combate). Este facto tem feito com que a investigação em novos e mais consistentes métodos e equipamentos de combate estejam na ordem do dia, para além da renovação dos métodos de prevenção (que o abandono rural também potenciou).

O aparecimento de novos aviões de combate, com uma maior capacidade de transporte de água ou retardante e com capacidade de manobrar em áreas de difícil acesso, tem sido uma realidade.

Na França, onde os incêndios florestais do ano 2017 queimaram áreas acima da média, o investimento em meios aéreos de combate é uma realidade e o avião que começa a ganhar espaço é o Bombardier Q400-Mr.

Este modelo de avião, construído inicialmente para o serviço de transporte de passageiros, nasceu em 1984. Porém, rapidamente se percebeu que possuía características que potenciavam a sua utilização como avião de combate a incêndios.

Esta versão de combate a incêndios, denominada Dash 8 – Q400-Mr, permite uma grande fiabilidade no ataque, dada a capacidade de transporte – 10 mil litros de água ou 9 mil de retardante – e a agilidade e velocidade. É, por estas características, que a Protecção Civil Francesa (Sécurité Civile Française) aposta neste avião como a sua principal arma aérea de combate a incêndios, como complemento de aviões e helicópteros capazes de um trabalho mais rápido, e dos meios terrestres.

 

Características

  • Tripulação: 2
  • Comprimento: 32.8 m
  • Envergadura: 28.4 m
  • Altura: 8.3 m
  • Área: 63.08 m2
  • Peso (sem carga): 17.819 kg
  • Peso Máximo: 30.481 kg
  • Motores: 2 × Pratt & Whitney PW150A Turbopropulsores 3,781 kW (cada motor)

Performance

  • Velocidade máxima: 667 km/h
  • Velocidade de cruzeiro: 556 km/h a 6.000 m
  • Alcance: 2.040 km
  • Tecto de serviço: 7.620 m
  • Takeoff (pista): 1.289 m
  • Landing (pista): 1.500 m

 

Seria esta uma boa opção para complementar o trabalho dos Aviões e Helicópteros usados em Portugal?

 

Sobre o autor

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).