Cineteatro de bombeiros de Âncora, Caminha, reabre hoje totalmente reabilitado

0

O cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora, em Caminha, que se encontrava encerrado há duas décadas, reabre hoje, “completamente remodelado”, no âmbito das comemorações do centenário daquela associação humanitária.

A intervenção de recuperação do imóvel foi iniciada em novembro de 2015.

A sala de espetáculos “tem capacidade para 200 pessoas, sendo integrada num complexo com novos camarins, novas instalações sanitárias, condições de conforto e de segurança”.

A inauguração do imóvel está marcada para as16:15 . A cerimónia será presidida pela ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa.

A reabertura da sala de espetáculos é ainda assinalada com um concerto solidário com António Zambujo. A receita da bilheteira reverte para a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora.

A gestão do cineteatro vai ser assegurada, durante dez anos, pela Câmara de Caminha que pagará à corporação uma quantia de mil euros por mês para ajudar a pagar as obras no imóvel.

A cedência da gestão cultural do cineteatro pela corporação à autarquia consta de um protocolo, aprovado em reunião camarária, a formalizar entre as partes.

“Esta proposta é fundamental para a sustentação financeira dos bombeiros, para suporte do pagamento das obrigações assumidas com a reabilitação do cineteatro e para fomento da programação cultural em Vila Praia de Âncora e no concelho de Caminha”, defendeu o presidente da Câmara, Miguel Alves, na proposta apresentada ao executivo.

Segundo o município, o protocolo “vai permitir a realização de atividades sociais e culturais, e ao mesmo tempo apoiar a associação humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora no que concerne à manutenção do equipamento”.

O documento prevê que “a Câmara assuma a gestão cultural, definindo uma linha programática, contratação, divulgação, promoção e procedimentos em geral”.

Aquela autarquia do distrito de Viana do Castelo “responsabiliza-se também pelo pagamento de todas as despesas relativas a energia, água, limpeza, manutenção e recursos humanos, pagando ainda à associação humanitária, mensalmente, a quantia de mil euros”.

O protocolo “tem a duração de dez anos, com início em janeiro de 2017, sendo automaticamente renovável se as partes assim o entenderem”.

Rádio Alto Minho




Sobre quem enviou a noticia

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.