Câmara de Coimbra reforça apoio às duas associações de bombeiros voluntários do concelho

0

O executivo da Câmara Municipal (CM) de Coimbra aprovou, na sua reunião de hoje, uma proposta para o financiamento da atividade das Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários (AHBV) de Coimbra e de Brasfemes. Segundo os critérios de apoio estabelecidos em 2018 (que conjuga uma verba fixa com o desempenho da atividade desenvolvida nos últimos três anos), a AHBV de Coimbra terá direito a um apoio de 40.969,94 euros, enquanto a AHBV de Brasfemes terá direito a um apoio de 59.030,06 euros.

A autarquia decidiu, em 2018, que a definição do apoio financeiro a atribuir a cada uma das AHBV deve ter em conta os meios e os operacionais envolvidos nas diversas ocorrências dos últimos três anos, tendo por base quatro tipos de riscos que constam na Norma Operacional Permanente e que são: Riscos Tecnológicos, Riscos Mistos, Proteção e Assistência a Pessoas e Bens e Operações e Estados de Alerta. O critério a aplicar passa por um valor fixo, de 40%, a distribuir pelas duas associações; 10% em função dos meios utilizados nos quatro tipos de risco; 15% em função dos operacionais envolvidos nos quatro tipos de risco; e 35% em função do número de intervenções.

Tendo em conta estes critérios e as situações ocorridas nos últimos três anos, a AHBV de Coimbra tem direito a receber 40.969,94 euros, enquanto à AHBV de Brasfemes foi atribuído um valor de 59.030,06 euros, verbas estas que servirão para reforçar o funcionamento de cada associação durante o ano em curso.

Esta é uma forma da CM Coimbra ajudar os Bombeiros Voluntários de Coimbra e de Brasfemes na realização dos seus objetivos e na concretização das suas funções sociais e humanitárias, tendo em conta o seu desempenho, nomeadamente o esforço que estas corporações desenvolvem na prevenção e no combate aos incêndios durante o habitual período crítico.

Recorde-se que, nesta reunião do executivo municipal, foi também ratificado o apoio financeiro da CM Coimbra para a constituição de mais duas Equipas de Intervenção Permanente (EIP), uma para a AHBV de Coimbra e outra para a de Brasfemes, no valor global de 240 mil euros: 120 mil euros para cada, repartido por três anos. Coimbra passa, assim, a ter quatro EIP e a reforçar a capacidade operacional no concelho. As EIP são constituídas por cinco elementos que estão em permanência nos quartéis de bombeiros para ocorrer a qualquer situação de urgência e emergência registada no concelho.

(Fonte: Notícias de Coimbra)

About author

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda. Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).