Bombeiros de Famalicão recebem novas viaturas

1

Os Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Famalicão comemoram dia 25 de Junho os seus 90 anos com a aquisição de uma nova ambulância de socorro, um carro de comando e ainda um veículo para combate a matérias perigosas que foi recuperado.

A bênção das novas viaturas decorreu na cerimónia de comemoração dos 90 anos da corporação. “Preenchemos uma lacuna que era a necessidade de um carro de combate às matérias perigosas”, destacou Bruno Alves, comandante dos Bombeiros Famalicenses, na sessão solene a que se associaram, entre outros, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, e o presidente da Liga Portuguesa de Bombeiros, Jaime Marta Soares.

Paulo Cunha transmitiu “uma palavra de apreço e gratidão a todos os voluntários” e garantiu a proximidade institucional da autarquia aos corpos de bombeiros do concelho, “consequência da importância do trabalho que desenvolvem”.

A cerimónia ficou ainda marcada pela apresentação da Escola de Cadetes e Infantes da corporação, com 40 elementos dos 6 aos 16 anos. Uma estrutura que Paulo Cunha considera da maior importância, pois “promove os valores da solidariedade entre os mais novos, incentiva à prática do voluntariado e pensa em novas gerações de bombeiros”.

Bruno Alves desafiou os deputados presentes na sessão solene a discutir e analisar na Assembleia da República um decreto “consubstanciado” para que as medidas na área da proteção civil sejam eficazes e adequadas. O comandante defendeu a criação de um “comando autónomo para os bombeiros, de modo a que cada entidade da Proteção Civil tenha uma área de atuação definida”.

Já o presidente dos Bombeiros Famalicenses lembrou que a corporação “tem projetos ambiciosos que aguardam parecer da tutela”. António Meireles afirmou que já estão reunidos todos os pareceres necessários, faltando apenas “luz verde” do Ministério da Administração Interna para que o Centro de Formação e Treinos e Base de Apoio Logístico possa avançar.

 




Sobre quem enviou a noticia

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.