Bombeiros da Póvoa de Lanhoso investem na aquisição de viaturas

0

A aquisição de um carro de combate a incêndios florestais e de uma ambulância são prioridades da nova direcção dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, ontem empossada com os restantes órgãos sociais eleitos para o triénio 2017-2019.

O padre Luís Fernandes, presidente da direcção, adiantou que está a decorrer um peditório a nível concelhio para a compra da nova viatura de combate a fogos.

Com um orçamento de 621 820 euros para o corrente ano, aquela associação humanitária prevê a realização de alguns melhoramentos no quartel. “Uma parte está a precisar de outras, nomeadamente no telhado, e estamos a pensar aumentar a Praça dos Heróis e ligá-la à parte antiga”, precisou o dirigente que tomou posse para o seu quarto mandato.

Luís Fernandes adiantou a intenção de continuar a investir na formação do corpo activo dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, constituído por cerca de oito dezenas de efectivos, apontando os elevados custos desta prioridade. Preparar a corporação “para os desafios do futuro” foi propósito assumido no discurso de tomada de posse.

O presidente da direcção dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso confessou, por outro lado, que a emigração continua a ser um problema à manutenção dos efectivos da corporação. “A emigração continua a roubar-nos muita gente. Todos os anos ‘fogem’ bastantes voluntários, mas felizmente vão entrando uns vinte novos por ano”, adiantou.

Luís Fernandes relevou que “a população colabora muito bem connosco, a Câmara

Municipal, também temos várias pessoas amigas que também ajudam”, pelo que a gestão financeira não é o que mais preocupa os dirigentes da Associação Humanitária povoense.

Recentemente, a assembleia geral da associação aprovou uma orçamento rectificativo relativo a 2016, traduzindo num desvio para cima de 129 mil euros, justificado com encargos de pessoal, aquisição de material e instalação do Museu do Bombeiro da Póvoa de Lanhoso, valência esta que reforça a aposta na Cultura.

Novo comandante está na corporação desde 1989

O novo comandante dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso entrou para os quadros da corporação em 1989. António Joaquim Matos Veloso, 51 de idade, subiu todos os degraus da hierarquia da corporação, à excepção do de chefe por, no momento em que essa promoção estava prevista, em 2006, ter sido assumido o cargo de adjunto de comando.

Em 2012, António Veloso foi convidado a ocupar o cargo de segundo comandante e, a partir de Julho de 2016, com a saída, a seu pedido, de António Lourenço, que foi comandante durante mais de duas décadas, ocupou interinamente o comando da corporação povoense.

Para além de vários outras formações ligadas ao seu ofício, António Veloso concluiu, em Dezembro último, em Lisboa, o curso de comandante a que teve de ser sujeito, tendo sido ontem empossado oficialmente no cargo operacional maior dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso. “Os povoenses precisam de bombeiros que tenham sempre intervenções de excelência”, declarou no discurso de tomada de posse.

Correio do Minho




Sobre quem enviou a noticia

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.