Bombeiros da Póvoa de Lanhoso carregam pela primeira vez o andor de S. Marçal

0

O andor de S. José foi carregado, como habitual, pelos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso e o estreante andor de S. Marçal pelo corpo feminino da mesma corporação

O sol primaveril que ontem se fez sentir e o facto de ser domingo fez com que a festa em honra de S. José fosse escolhida por milhares de pessoas como o melhor local para passar o Dia do Pai.

Uma enorme multidão esteve sempre presente no centro da vila minhota fazendo com que quem chegasse de automóvel só por mera sorte encontrasse um lugar de estacionamento mais perto da zona central.

Há muitos anos que os habitantes locais referem não se recordar de uma concentração tão grande de pessoas nas festas concelhias.

«Em 12 anos que estou na Câmara e não me lembro de ver tantas pessoas nas festas», disse ao Diário do Minho o presidente da Câmara Municipal, Manuel Baptista, que cumpre o seu último ano à frente do executivo.

«Se calhar serão dos meus olhos», gracejou o edil, indicando que viu um número de autocarros «carregados de gente» como nunca tinha visto.

Nem o facto de não haver divertimentos mecanizados na festa por protesto dos empresários do setor teve impacto na festa, embora Manuel Baptista refira que os maiores prejudicados «são as crianças».

Andor de S. Marçal estreia na procissão

Este ano, a principal novidade na procissão da festa foi a inclusão do andor com a imagem de S. Marçal, padroeiro dos bombeiros. Este novo andor foi transportado pelo corpo feminino dos bombeiros.

Os homens carregaram, como habitual, o andor de S. José. Todas as paróquias marcaram presença com o andor do seu padroeiro e as juntas ou uniões de freguesia também se manifestaram com as suas bandeiras e eleitos.

Para além dos escuteiros dos oito agrupamentos existentes na Póvoa de Lanhoso, 102 crianças e adolescentes fizeram de figurados no cortejo religioso.

No total foram exibidos 48 quadros catequéticos evocativos do Ano Pastoral, do Ano Mariano, do Centenário das Aparições de Fátima e da visita do Papa Francisco.

No meio do cortejo atuou a Banda de Música de Calvos e no final a Banda dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso. «Para o ano troca-se a ordem, como é costume», explicou o pároco, padre Armindo Gonçalves.

Diário do Minho|Álvaro Magalhães




Sobre quem enviou a noticia

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.