União Ibérica para o combate a incêndios florestais

0

Decorreu hoje, dia 10, no Auditório do Pavilhão de Desportos de Figueira de Castelo Rodrigo, Guarda, a sessão de formação da Plataforma SpitFire direccionada para os operacionais deste distrito e da província de Salamanca.

Nesta formação, para além de Comandantes de Corpos de Bombeiros com área de actuação junto à fronteira, estiveram presentes elementos da Força Especial de Bombeiros, técnicos do Comando Distrital de Operações de Socorro, técnicos dos gabinetes florestais camarários, guardas do Grupo de Intervenção e Prevenção da Guarda Nacional Republicana e operacionais da Agência de Extinção de Incêndios Florestais (agencia extincion incendios forestales) sediada em Salamanca.

Durante a sessão de abertura, António Fonseca, Comandante Operacional Distrital da Guarda, realçou a importância desta actividade para “o estreitar de laços entre as entidades que combatem os incêndios florestais na zona de fronteira”, lembrando que esta relação existe assente num protocolo transfronteiriço que já permitiu “candidaturas conjuntas para projectos de interesse comum.”

Em representação da Câmara de Figueira de Castelo Rodrigo, João Quadrado, aproveitou para agradecer “a presença de todos e a oportunidade que foi dada ao concelho de receber esta formação conjunta”.

Miguel Almeida, formador da Plataforma Spitfire e membro da ADAI, salientou a importância deste instrumento pela simples constatação de que “o fogo não conhece fronteiras” e que um combate eficaz entre dois países necessita de uma homogeneização de informações. Lembrou também que esta plataforma resulta de “um trabalho já efectuado ao nível do Protocolo de Colaboração Transfronteiriça e que tem sido muito elogiado internacionalmente”.

Note-se que o protocolo mencionado permite a actuação de bombeiros e outras forças de combate a incêndios num raio de 15 quilómetros para dentro de cada país, Portugal e Espanha, havendo uma faixa de actuação “livre” de cerca de 30 quilómetros na zona de fronteira. Esta plataforma permite o conhecimento de dados, e o consequente cruzamento, numa faixa de 50 quilómetros. Dados provenientes de instituições portuguesas e espanholas.

Durante cerca de três horas os presentes tiveram oportunidade de conhecer, explorar e relacionar-se com a Plataforma que pretende trazer maior eficácia e maior rigor à coordenação das operações transfronteiriças.

Os parceiros deste projecto são a agência europeia ECO, a MeteoGrid, a ADAI, a AEmet, o IPMA e a ANPC.

O Portal Bombeiros.pt esteve a acompanhar esta formação e irá dar a conhecer algumas das valências deste instrumento, que pretende revolucionar a intervenção junto à fronteira, muito em breve.




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).