Sistema de combate evitou “o pior ano em área ardida” de sempre

1

Domingos Xavier Viegas

Xavier Viegas, investigador e coordenador do Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais, está a desenvolver um relatório sobre o incêndio de Pedrógão para entregar ao Governo.

O investigador considera que o Verão foi “atípico”. “Foi característico deste ano um período de seca muito prolongado, um dos piores dos últimos anos, com temperaturas altas, baixa humidade relativa do ar e ventos muito fortes durante muitos dias”, destacou. “Também foi atípico pelo incêndio de Pedrógão, que foi brutal e causou um número de vítimas fora do comum”.

Para Xavier Viegas, este só não foi “o pior ano em área ardida porque o sistema de combate está mais bem preparado do que em 2003 e em 2005”. O investigador espera que o Estado tire lições deste Verão trágico. “É preciso pensar mais nas pessoas que vivem nas zonas rurais e que têm de ter condições de segurança para viverem ali”.

(Fonte: Bombeiros.pt com DN)




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).