Oito bombeiros falecidos no Verão de 2013 foram distinguidos pelo Governo a título póstumo

3

Os oito bombeiros que faleceram no Verão de 2013 foram distinguidos, a título póstumo, com a medalha de mérito de proteção e socorro, no grau ouro e distintivo azul, segundo os despachos do ministro da Administração Interna publicados em “Diário da República” nos dias 20 e 21 de Fevereiro.

foto Rui Manuel Fonseca / Global Imagens
Sete bombeiros distinguidos pelo Governo a título póstumo
Miguel Macedo no funeral de um bombeiro

Na lista de distinções estão Bernardo Manuel dos Santos Cardoso, Fernando Manuel Sousa Reis, António Nuno Joaquim Ferreira, Cátia Pereira Dias, Daniel Alexandre Preto Falcão, Pedro Miguel Jesus Rodrigues, Bernardo Albuquerque de Vasconcelos Figueiredo e Ana Rita Abreu Pereira, que morreram no combate a incêndios no verão do ano passado.

Os despachos frisam como os bombeiros nortearam a sua “conduta, em prol do ideal de serviço à comunidade, com espírito voluntarioso, competente e afável, tendo granjeado, desde sempre, a simpatia, a amizade e respeito dos seus camaradas e também do público que, pela sua função no corpo de bombeiros”, os “conhecia e respeitava”.

Fernando Reis era bombeiro voluntário em Valença e morreu a 5 de setembro, no combate a um fogo no lugar de Melim, enquanto António Ferreira e Daniel Falcão eram bombeiros de Miranda do Douro e faleceram no lugar de Cicouro.

Cátia Dias morreu a 29 de agosto ao serviço da corporação de Carregal do Sal, na Serra do Caramulo, tendo o seu camarada Bernardo Cardoso, também ferido no mesmo dia,vindo a falecer alguns dias mais tarde (no dia 3 de Setembro) já no Hospital da Prelada, Porto.

Dos Bombeiros Voluntários do Estoril foi distinguido Bernardo Figueiredo, que morreu a 28 de agosto num acidente ocorrido com um grupo de reforço do distrito de Lisboa, a 22 de agosto, durante as operações de combate a um fogo no concelho de Tondela, onde também morreu Ana Rita Pereira, dos bombeiros de Alcabideche.

Pedro Miguel Rodrigues era bombeiro voluntário na Covilhã e morreu a 15 de agosto de 2013 no combate ao fogo no lugar de Coutada.

Os despachos do ministro Miguel Macedo referem, ainda, que estas mortes privaram a “sociedade portuguesa” de cidadãos dotados de “elevadas qualidades pessoais”, que sempre souberam “conduzir a sua ação na proteção das pessoas, do património e do ambiente de forma notavelmente solidária, devotando muito do seu tempo e, por fim, a própria vida para os proteger e socorrer”.

Ao longo dos anos de serviço, estes bombeiros souberam “cumprir as missões que lhes foram confiadas, com grande abnegação, invulgar apego e dedicação, nunca descurando os seus deveres, tendo-se distinguido pela competência e profissionalismo, prestando dessa forma serviços muito meritórios para o país”.

(Fonte: JN/ Bombeiros.pt)

Notícia actualizada às 17h20 do dia 21/02/2014

Bombeiros

About author

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).

  • Lancero

    O despacho relativo a Bernardo Cardoso já havia sido ontem publicado

  • Sorcerer

    Oito bombeiros falecidos no Verão de 2014??!!
    Ainda estamos na Primavera….

  • scipriano

    Agradecemos o reparo.