Segurança e Eficiência no Combate aos Incêndios Florestais, de Samuel Martins

0

Segurança e Eficiência no Combate aos Incêndios FlorestaisEste trabalho é baseado na análise de incêndios florestais e fogos controlados presenciados pelo autor. Para além disso, integra conceitos apreendidos durante a elaboração de uma tese de mestrado, centrada no comportamento do fogo, e também na frequência de cursos de especialização em uso de fogo. Pretendia-se usar dados de ensaios de campo, programados para testar algumas técnicas, tarefa que foi limitada pelas condições meteorológicas do presente ano.

No decorrer dos anos tem-se evidenciado que um dos impactos mais negativos dos incêndios florestais são os acidentes graves com Bombeiros. Para além destes, devem também considerar-se os efeitos da exposição continuada aos gases emitidos, que não se apresentando de imediato, podem, segundo os estudos mais recentes, provocar efeitos nocivos na saúde. A prevenção passa pelo uso de equipamentos em boas condições e adequados, mas também pela atitude dos combatentes e chefes, na procura de uma menor exposição ao risco.

Compreender o comportamento do fogo é porventura a tarefa mais complexa e mais importante no planeamento do combate. Este caracteriza-se pela velocidade e intensidade. A previsão da sua evolução no espaço e tempo é feita com base na análise dos combustíveis, forma do terreno e dos movimentos de massas de ar, de onde se destaca o vento. O comportamento extremo constitui um perigo acrescido, para além de reduzir drasticamente a eficácia do combate.

O planeamento do combate passa pela análise de risco, estabelecimento de prioridades e definição de objetivos. Estas ações são facilitadas pelo uso adequado de cartografia, cartas de vento e também do índice de risco meteorológico, Fire Weather Index. A intervenção no incêndio é condicionada pelo seu comportamento e pelos meios disponíveis, devendo as manobras ser bem ponderadas, de modo a garantirem condições de segurança, a serem pertinentes e se possível de fácil execução. As técnicas de combate são várias, apesar de nem sempre estarem disponíveis por não se reunirem as condições para o seu uso eficiente, nomeadamente de ferramentas motomanuais, maquinaria pesada e fogo de supressão. O aumento dessa disponibilidade poderá contribuir para uma maior eficiência e também para uma menor exposição dos combatentes.

Segurança e Eficiência no Combate aos Incêndios Florestais, de Samuel Martins: Segurança e Eficiência no Combate aos Incêndios Florestais -1 (1)

(este trabalho é de Samuel Martins, cujo CV podem ver aqui: CV Samuel Martins)




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).