Santarém recebe o Congresso da mudança ou da continuidade na LBP

0

Decorre hoje em Santarém, no Centro Nacional de Exposições (CNEMA), o 44.º Congresso Nacional da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP).

Num Congresso marcado pela despedida de Jaime Marta Soares da Presidência da Liga, a comunicação social apenas foi autorizada a assistir à sessão de abertura e à sessão de encerramento (marcada para as 20 horas), sendo impedida de assistir aos restantes trabalhos devido, alegadamente, a imposições da Direção Geral da Saúde (DGS).

Durante a sessão de abertura do Congresso presenciada pelo Portal Bombeiros.pt, José Amaro Nunes, presidente da mesa de congressos, deu as boas-vindas aos presentes e afirmou que “todos têm o seu espaço” dentro da LBP para “promover a defesa dos bombeiros”, pois o “sucesso de um destino coletivo depende da visão coletiva” que se imponha.

O presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Santarém, Adelino Gomes, usou brevemente da palavra para saudar os presentes e afirmar a importância do Congresso.

Jaime Marta Soares, Presidente cessante da LBP, usou da palavra para, num discurso emocionado, fazer o panegírico do papel dos bombeiros na sociedade portuguesa e para revelar o facto de estar “feliz com a presença de Eduardo Cabrita” na abertura do Congresso, pedindo-lhe “cuidado com as reformas” territoriais que afetam o sector dos bombeiros, pois, revelou, a implementação das medidas associadas às “NUTS3 pode ser um desastre para a área operacional dos bombeiros”. Ainda na defesa do papel central dos bombeiros, Jaime Marta Soares acentuou a importância do comando único nos bombeiros, afirmando que a “autonomia de comando deve ser uma prioridade” na reorganização nacional dos corpos de bombeiros. Concluiu a sua intervenção com várias referências ao trabalho efetuado junto de vários responsáveis políticos, salientando a relação negocial com Eduardo Cabrita.

Enquanto anfitrião do Congresso, Ricardo Gonçalves, presidente da Câmara Municipal de Santarém, saudou os presentes e reafirmou o “orgulho nos bombeiros do seu concelho”, referindo que a “pandemia reforçou o orgulho nos bombeiros”. Fazendo várias referências à importância dos trabalhos do dia de hoje, acabou por sublinhar que, aconteça o que acontecer na votação, “é importante que quem ganhe a eleição possa unir e não separar”.

O último a usar da palavra nesta sessão de abertura foi o Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, num discurso em que se centrou na figura de Jaime Marta Soares, acabou por referir que “o trabalho em comum serviu para construir a confiança do sistema de proteção civil” e solidificar os bombeiros enquanto “coluna vertebral do sistema de proteção civil em Portugal”. Reconhecendo que este é um “congresso de transição”, deu a certeza do trabalho em comum ter servido para mostrar que o “voluntariado não significa amadorismo” e que é este o “caminho de crescente profissionalização do sistema”, onde a responsabilidade pertence, também, às “autarquias locais”.

Colocando a crise política como centro das atenções, afirmou que o trabalho do Governo permitiu já a existência de “551 Equipas de Intervenção Permanente” que comprovam a aposta na “solidez do sistema” com os “bombeiros como primeira resposta”. O Ministro afirmou ainda que a “’crise política’ originada pelo chumbo do orçamento impediu a justa atualização de algumas decisões nas políticas dos bombeiros”. Voltando ao Congresso, o Ministro disse que “temos de olhar para o futuro neste congresso”, mas reconhecendo que “o Governo não tem papel no diálogo interno da liga”.

“O governo vai trabalhar com a mesma frontalidade e a mesma lealdade com a nova direção da liga”, afirmou, revelando que o “plano de Recuperação e Resiliência (PRR) terá 40 milhões de euros para a proteção civil”.

No final da sua intervenção, Eduardo Cabrita referiu que “somos amigos [ele e Jaime Marta Soares] que nos temos entendido e desentendido”, concluindo que o presidente cessante da LBP “marcou a história dos bombeiros portugueses”. Ouviu-se, neste momento, o primeiro grande aplauso da manhã.

Seguiu-se o momento em que foi atribuída a Medalha de Mérito de Proteção e Socorro, no grau ouro e distintivo laranja, a Jaime Marta Soares pelo MAI (Despacho n.º 10580/2021 – DRE).

Como agradecimento, Jaime Marta Sores revelou que aceita a homenagem de Eduardo Cabrita, pois “as condecorações não se exigem, mas também não se devem rejeitar”, afirmando que “esta condecoração é de todos os homens e mulheres de farda”.

About author

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda. Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).