Protecção Civil foi a Espanha comprar ração de combate para os bombeiros!

1

A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) esperou pelo pico do verão para adquirir  “Pacotes individuais com refeições frias para os operacionais no campo de operações”.

ANPC

Já a fase Charlie (a mais crítica do combate aos incêndios florestais) ia adiantada e meio Portugal estava a arder quando a ANPC decidiu que era altura de ir a Espanha comprar “de Kit´s de Alimentação” para quem combate as chamas de Norte a Sul.

Foi no dia 24 de junho que a ANPC encomendou à espanhola José Manuel Poveda S.A. aquisição de 47.480,00 €  de “Pacotes individuais com refeições frias para os operacionais no campo de operações”

Constata-se que esta empresa com sede em Alicante pode entregar os Kit´s até final do mês deste mês de agosto. Está no contrato. Quase até ao fim do verão!

ki bombeiros 1

Notícias de Coimbra contactou alguns bombeiros que afirmam que ainda não viram o já baptizado “torrão de Alicante”,  mas que, de forma unânime, garante que se recusam a comer “ração de combate”.

“Não gosto de comida de plástico”. “No dia em que me derem isso, abandono o teatro de operações”. “Quero comida de gente”. “Tratem os bombeiros com dignidade”. Estas são apenas alguns dos gritos de revolta dos soldados da paz ouvidos por Notícias de Coimbra.

A ANPC ainda não nos disse o que consta das “4 ementas” que foi comprar a Alicante, mas sabe-se que os kit´s incluem atum, bebida para desportistas,  bolachas, café, doces, caramelos, pastilhas para a água, massa à bolonhesa, paelha de frango, sardinhas em conserva ou marmelada.

kit bombeiros 2

A José Manuel Poveda S.A actua com a marca comercial JOMIPSA e garante que “as Nossas rações de previsão são desenvolvidos especificamente para cada situação. Eles são leves, portáteis, compactos e projetados para ocupar o espaço mínimo exigido”. 

No dia 9 de agosto, a ANPC disponibilizou um vídeo, onde se pode ouvir que em parceria com a Direcção-Geral da Saúde, recomenda e distribui um kit alimentar de proteção civil para os grupos de reforço que se deslocam por todo o país, com um plano nutricional que assegura uma alimentação equilibrada e adequada aos esforços que lhes são exigidos.
 

As imagens deste vídeo foram captadas na Lousã, em 12 de abril,  por ocasião da pomposa “Sessão de Apresentação Pública do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais – DECIF 2017”. Nesse dia, depois de terem ouvido falar nestes Kit´s, vários comandantes questionavam, em surdina, “Onde é que já se viu um Bombeiro a comer isto?!”

“Os kits são compostos por quatro menus e produzidos para as necessidades específicas dos operacionais e ao esforço que fazem no combate aos incêndios rurais”, garante a ANPC.

2.1

Notícias de Coimbra constatou que ANPC paga as refeições que são servidas aos operacionais por associações humanitárias ou autarquias.

Investe 7€ por almoço ou jantar e 1,80€ por cada Pequeno-Almoço, Lanche. Reforço 1 ou Reforço 2.  O que contempla 6 distribuições de alimetação em cada 24 horas. São 21, 20 Euros por dia.

Parace ser um valor suficiente para que os Bombeiros tenham direito a refeições dignas. O que nem sempre acontece, pelo que deve ser questionada a eficácia da protecção civil em muitos municípios, sobretudo quando, apesar de estarem a receber pelo serviço que deviam assegurar, pedem ao povo voluntário levar comida para os soldados da paz.

Recentemente, a Direcção-Geral da Saúde lançou um  manual  com “recomendações gerais para a alimentação dos bombeiros” que terá servido para justificar a compra dos “kit´s alimentares”.

Notícias de Coimbra aguarda que a ANPC responda às perguntas que fizemos  no dia 16 de agosto.

FONTE: noticiasdecoimbra




Sobre quem enviou a noticia

Pedro Fonseca

Pedro Fonseca

É natural e residente em Gouveia, a sua vida profissional está ligada nestes últimos 18 anos à área de consultadoria em seguros. Em 2013 foi fundador da empresa LICATEL - Soluções em Telecomunicações onde é sócio/gerente. Desde tenra idade ingressou nas camadas jovens dos Bombeiros de Gouveia tendo permanecido alguns anos nos quadros, ultimamente passou pela Direcção da referida Instituição dinamizando a área de comunicação e imagem. Frequentou a licenciatura em Gestão de Marketing no IPAM de Aveiro. Passou por diversas Associações de Gouveia dando o seu contributo.