Previsão de maior agitação do mar, com ondas até 7 metros

0
Imagem: TVI

Imagem: TVI

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) mantém toda a costa portuguesa sob aviso laranja até ao final do dia, por previsões de ondulação até aos sete metros na altura da preia-mar, por volta das 17 horas.

As autoridades voltaram a alertar para o perigo que constitui este período de grande agitação, recomendando à população que evite a permanência junto do mar.

De acordo com a página na Internet do IPMA, a costa portuguesa está sob aviso laranja – o segundo mais grave numa escala de quatro – até à meia-noite de hoje. Na Costa Ocidental a norte do Cabo Rasoestão previstas ondas com 5 a 7 metros, diminuindo para 4 a 5 metros no final do dia a norte do Cabo Mondego.

Já na Costa Ocidental a sul do Cabo Raso, as ondas são noroeste com 5 a 6 metros, diminuindo gradualmente para 4 a 5 metros.

Na Costa Sul, a situação está mais calma.

O aviso laranja passa depois a aviso amarelo – o terceiro mais grave -, que se prolonga até ao final do dia de terça-feira, 04 de Fevereiro, devido a previsões de ondulação entre os quatro e cinco metros de altura.

Hoje, a ondulação na ordem dos seis metros de altura provocou estragos ao longo da costa.

A Polícia Marítima da Costa da Caparica vai encerrar ao final da manhã de hoje parte do paredão que o mar galgou nas primeiras horas da madrugada, provocando estragos no piso e em restaurantes e bares.

A parte mais afectada já se encontra encerrada desde as primeiras horas da manhã e as autoridades marítimas decidiram fechar o acesso desde a zona do Tarquino até ao final da muralha a norte, junto ao parque de campismo da INATEL.

A forte agitação do mar causou também diversos danos materiais em localidades costeiras da Região Centro, como Nazaré, Peniche e São Martinho do Porto, informou o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria.

Durante a noite e primeiras horas da manhã, o mar avançou para zonas habitadas e causou algumas inundações, provocando prejuízos diversos em estabelecimentos comerciais, cafés, viaturas e embarcações, adiantou aquela fonte à agência Lusa.

Na Nazaré, “a forte ondulação do mar atingiu a marginal, que esteve cortada ao trânsito até às 07:00”, disse à Lusa o comandante dos Bombeiros Voluntários (BV) da vila, João Estrelinha.

A agitação marítima das últimas horas provocou estragos no passeio marítimo de Cascais, sobretudo ao nível do pavimento, informou a Polícia Marítima que desaconselha circular na via, ainda que não tenha sido encerrada. De acordo com o capitão do Porto de Cascais, Pinto Moreira, há neste momento locais intransitáveis no passeio marítimo, e foram enviadas equipas para o local para desobstruir as áreas mais afectadas.

Na Praia Grande, no litoral de Sintra, as autoridades foram obrigadas a cortar o acesso ao areal e aos restaurantes da frente de mar.

Também no Furadouro, concelho de Ovar, a forte agitação marítima arremessou para a costa objectos, sobretudo troncos de madeira, segundo disse fonte dos Bombeiros de Ovar, à agência Lusa. No local encontram-se elementos dos Bombeiros de Ovar, elementos da PSP e da Protecção Civil.

Seis barras marítimas do país estão hoje fechadas e uma condicionada à navegação, devido à agitação marítima, de acordo com a informação disponível na página da Internet da Marinha Portuguesa.

As barras marítimas fechadas são de Esposende, Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Douro, Figueira da Foz e São Martinho do Porto.

Ainda segundo a informação da Marinha Portuguesa, está condicionada a barra de Aveiro a embarcações com comprimento inferior a 35 metros.

FONTE: SOL

 

martempo



Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.