População em pânico com fogo nos telhados em Cascais

0

Um bombeiro e um civil ficaram feridos. Chamas atingiram cobertura de dois edifícios e outros quatro tiveram de ser evacuados.

As chamas surgiram pelas 18h00 de ontem, numa altura em que os termómetros ainda ultrapassavam os 36 graus em Cascais, e depressa assumiram proporções assustadoras. Os moradores de Alvide, na freguesia de Alcabideche, viram o fogo avançar numa zona de mato e chegar, descontrolado, aos telhados de pelo menos dois edifícios. Outros quatro prédios tiveram de ser evacuados, tal como dezenas de moradias, enquanto os mais de 260 operacionais e sete meios aéreos combatiam o incêndio.

Um bombeiro da corporação de Barcarena foi assistido no local devido a exaustão e escoriações provocadas por uma queda, revelou ao CM Carlos Carreiras, presidente da Câmara de Cascais. Um morador sofreu queimaduras ligeiras no pescoço ao ser atingido por fagulhas e também recebeu cuidados no terreno, sem necessidade de internamento hospitalar.

Centenas de pessoas viveram momentos de aflição. “O meu marido ligou-me a dizer que estavam a evacuar o prédio, o telhado já estava a arder. Não me deixaram passar porque cortaram os acessos e não sei onde estão os meus filhos e o meu marido. É um pesadelo. Vou perder tudo”, relatou ao CM uma moradora.

País em alerta devido altas temperaturas
O Governo declarou ontem a situação de alerta em Portugal Continental devido às previsões meteorológicos, que apontam para um “significativo agravamento do risco de incêndio rural”.Vigora até domingo e inclui, entre outras medidas, a realização pela GNR de ações de fiscalização pelo ar através de meios da Força Aérea. Ontem, lavraram dois grandes incêndios em Oliveira de Azeméis e em Ponte de Lima. No primeiro, um bombeiro ficou ferido e uma viatura sofreu danos. O segundo obrigou a retirar 10 pessoas de casa.

Ex-GNR volta a ser detido por atear fogos
Um ex-militar da GNR com cadastro por atear fogos em Abrantes, foi detido de novo pela PJ, por ser o suspeito de vários incêndios que deflagraram na última semana no concelho. O incendiário, de 48 anos, estava em liberdade desde maio, altura em que foi condenado a quatro anos de prisão, pena suspensa. Já em Vila Real, foi detido um homem de 70 anos, suspeito de ter ateado um fogo numa zona de mato, no dia 3. Ouvido por um juiz, foi libertado, com apresentações. O fogo colocou em perigo armazéns agrícolas e casas.

Fonte: Correio da Manha

About author

Paulo Reis

É natural e residente em Esmoriz, a sua vida profissional está ligada à indústria automóvel nestes últimos 25 anos como CAD Designer. É um dos fundadores da Rádio Voz de Esmoriz, onde apresentou o programa de rádio “Bombeiros em Missão”. Está ligado desde tenra idade aos Bombeiros de Esmoriz onde fez parte da orquestra do Grupo Cénico e hoje, ocupa o posto de Subchefe. Foi responsável pelo Grupo de Comunicação & Imagem dos BV Esmoriz e integrou a equipa do portal bombeirosdeportugal.com. É o responsável do Departamento de Relações Públicas do portal Bombeiros.pt