População em desespero com chamas em Abrantes

0

Várias pessoas foram retiradas de casa em Aldeia do Mato, Abrantes, devido à proximidade do fogo a algumas casas. Mais de 600 operacionais e nove meios aéreos estão envolvidos no combate às chamas.

O fogo em povoamento florestal que deflagrou às 18.14 horas de quarta-feira, na União de Freguesias de Aldeia do Mato e Souto, “continua descontrolado e com duas frentes ativas”, afirmou, pelas 13.30 horas, a presidente da Câmara de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque.

As chamas alastraram às localidades de Paul, Sentieiras e Alto da Chainça, na União de Freguesias de Abrantes, e à localidade de Pucariça, na freguesia de Rio de Moinhos. De acordo com a autarca, em declarações à agência Lusa, as duas frentes de fogo possuem “uma extensão de cerca de sete quilómetros”.

“Há uma zona extensa atingida, desde a freguesia de Souto até ao limite urbano da cidade” de Abrantes, adiantou Maria do Céu Albuquerque.

A presidente da autarquia do distrito de Santarém acrescentou que, até ao momento, “foram retirados de casa três idosos acamados”, em Carreira do Mato, para o centro social de Souto, e “arderam alguns anexos e casas devolutas”, onde o incêndio “lavra paredes meias com a aldeia”.

“Isso faz com que os nossos recursos sejam todos apostados na defesa das pessoas e das suas casas”, frisou a autarca, acrescentando que está a equacionar-se a evacuação das aldeias de Braçal e Pucariça.

JN

 




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.