Os fogos florestais também se combatem com tecnologia

0

Uma plataforma de deteção de fogos florestais é apresentada esta quarta-feira na Web Summit.

Um grupo de investigadores está a vender uma solução global para a área de deteção de incêndios. O nome é inglês mas a tecnologia é portuguesa: Bee2FireDetection quer estar em todas as torres de vigilância das florestas.

A tecnologia, como adianta João Matos, da Bee2FireDetection, passa por instalar no terreno uma série de sensores desenvolvidos pela empresa: “trabalhamos com três tipos de tecnologia: espetrometria ótica, com câmaras térmicas e com câmaras óticas, e depois também com estações meteorológicas. Temos uma solução que engloba inteligência artificial para trabalhar toda a informação e poder dá-la da melhor forma a quem está nas salas de controlo”.

João Matos acrescenta que esta ferramenta é importante no apoio às decisões de comando da proteção civil ou dos bombeiros.

“Damos informações sobre quando é que existe o incêndio onde é que ele está, como é que se deve ir até ao incêndio, que tipo de atitudes é que se deve tomar, como é que o incêndio se pode propagar e que tipo de atitude se deve tomar para poder a ajudar a apagar o fogo”, sublinha.

Por outro lado, “este tipo de conceito permite que nas salas de operações se tenha em tempo real a ideia do que se está a passar e, em simultâneo, da meteorologia que é criada em função do incêndio. No fundo, dar informação a quem precisa dela para tomar decisões”, explica João Matos

Com este conceito a empresa veio a Web Summit com uma intenção: “esperamos angariar investimentos para podermos vender no estrangeiro.”

João Matos revela que “estamos interessados em divulgar a ideia e o projeto e, ao mesmo tempo, podermos angariar alguns fundos que nos permitam internacionalizar o conceito e o produto”.

Uma ideia exportadora, para já com clientes nos produtores de pasta de papel de Portugal e do Brasil.

TSF

About author

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda.
Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe.
É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.