Onze anos de incêndios custaram 2,9 milhões de euros

0

incendio, canadairAs contas foram feitas pelo Jornal de Notícias, que somou despesas públicas e outros custos referentes aos últimos onze anos, e o resultado é, em média, cerca de 270 milhões de euros por ano.

O JN baseou a sua análise em dados do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) e da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) sobre a despesa com o combate aos incêndios e concluiu que, entre 2003 e 2013, arderam quase 1,6 milhões de hectares, totalizando um custo de 2,9 mil milhões de euros.

Já no que diz respeito aos anos com maior dispêndio de verbas, o ano passado foi o que apresentou a fatura mais elevada dos onze anos, custando ao Estado 307 milhões de euros e ficando em terceiro lugar no que respeita a área ardida. Deste valor, 87,4 milhões foram gastos com o combate e 219,6 milhões com os prejuízos para a floresta e para o ambiente.

De acordo com os dados que o JN apurou, parece haver um crescimento contínuo da despesa com o combate aos incêndios entre 2003 e 2013, registando-se uma quebra em 2011 devido à adoção, em 2010, de grupos de reforço, desenvolvimento de bases de apoio logístico e equipas de intervenção permanente.

(Fonte: JN/ Bombeiros.pt)

Entra na página do Facebook do Portal Bombeiros.pt (https://www.facebook.com/www.Bombeiros.pt), faz “Gosto” e conhece em primeira mão todas as notícias sobre os Bombeiros Portugueses!

About author

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).