Ministro da Administração Interna considera normal gastos da EMA após extinção

0

ema“Não sei qual é o espanto”, disse Miguel Macedo, referindo que “os meios aéreos do Estado voaram, tiveram operações ao longo deste tempo todo”.

O ministro da Administração Interna considerou hoje normal os gastos da Empresa Meios Aéreos (EMA), que gere aeronaves do Estado, após o anúncio da sua extinção, justificando os mesmos com as operações que os meios realizaram.

Miguel Macedo reagia, assim, à notícia divulgada pelo Jornal i , segundo a qual, três anos após o anúncio da extinção da EMA, “a empresa não só ainda não foi extinta como gastou 10,9 milhões de euros na aquisição de bens e serviços”.

“Não sei qual é o espanto”, disse Miguel Macedo, referindo que “os meios aéreos do Estado voaram, tiveram operações ao longo deste tempo todo”.

De acordo com Miguel Macedo, que falava aos jornalistas no final da apresentação do balanço das três primeiras semanas da Fase Charlie de combate aos incêndios – que decorre entre 1 de julho e 30 de setembro – depois do anúncio da extinção da EMA, e tendo em conta que o lote dos helicópteros Kamov ficou «deserto», foi repetido o concurso público internacional.

Até ao final do concurso, que deverá estar resolvido em setembro, segundo as previsões de Miguel Macedo, os meios aéreos pesados, que são utilizados no combate aos incêndios, mas também na saúde, têm sido utilizados.

“Havendo esses meios aéreos necessários para o combate aos incêndios e também no domínio da saúde, com meios humanos para manter esses meios, gasta-se dinheiro”, afirmou.

(Fonte: i)

 




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).