Mais de mil operacionais no combate aos incêndios

0

(Foto: Paulo Prata)

Mais de mil operacionais combatem hoje incêndios de grande dimensão no país, sendo os fogos nos distritos de Viana do Castelo, Guarda e Coimbra os que suscitam mais preocupação, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC). Os incêndios de Monção e Lousã encontram-se “descontrolados”. O de Monção já “consumiu” várias casas.  Há 13 feridos num fogo em Vale de Cambra. Cinco bombeiros pertencentes à corporação de Ovar despistaram-se a caminho do fogo na viatura de combate, que acabou por capotar. Nenhuma destes feridos corre perigo de vida.

O incêndio que deflagrou no sábado, às 20h21, em Merufe, Monção, encontra-se este domingo “completamente descontrolado” e já “consumiu” várias casas, afirmou à Lusa a vice-presidente da Câmara local. Também “descontrolado” está o incêndio que deflagrou na Lousã, que já ultrapassa a linha do concelho e obrigou à evacuação de algumas casas. Na Lousã, os bombeiros estão a ser apoiados por 96 meios terrestres. A TVI24 avança que as chamas estão perto de uma bomba de gasolina.

Mais de 1.000 operacionais estão a combater incêndios de grande dimensão no país, sendo os fogos nos distritos de Viana do Castelo, Guarda e Coimbra os que suscitam mais preocupação, segundo a Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC). Patrícia Gaspar, adjunta do comando nacional da ANPC, disse que os incêndios que mobilizam o maior número de meios são os que lavram nos concelhos de Monção (Viana do Castelo), Seia (Guarda) e Lousã (Coimbra).

A nossa prioridade agora é apenas salvar vidas e bens. O fogo está completamente descontrolado. Já tivemos que evacuar vários lugares. O vento é muito forte e leva o fogo de um sítio para o outro. Está muito perigoso”, afirmou hoje à Lusa, a vice-presidente da Câmara de Monção, Conceição Soares.

Segundo aquela responsável, “as habitações arderam nas freguesias de Longos Vales, onde já foram evacuados alguns lugares e em Bela”.”Ainda não sabemos quantas casas arderam, nem se eram habitadas ou não”, disse, garantindo que “os bombeiros estão a fazer o que podem”.

Além de Longos Vales e Bela, o incêndio afeta ainda as freguesias de Barbeita e Anhões. Segundo o site da ANPC, pelas 13h00, o incêndio, que deflagrou às 20h21 de sábado, no concelho de Monção, no distrito de Viana do Castelo, mobilizava 183 operacionais 56 viaturas e três meios aéreos.

No caso do incêndio de Monção, que começou às 20h21 de sábado, Patrícia Gaspar adiantou que dois idosos foram retirados da localidade de Bela “por prevenção devido ao fumo” e duas casas foram afetadas pelas chamas em S. Paio e Velhas, sendo uma das habitações desabitada.

A mesma responsável afirmou que estão meios de socorro no local para garantir a proteção das habitações em cinco localidades do concelho de Monção, que está a ser combatido por 172 operacionais, 55 viaturas e dois meios aéreos.

Patrícia Gaspar disse que o incêndio que lavra no concelho da Lousã “está intenso e muito ativo”, tendo já sido retiradas pessoas das casas em Boque, Piares e Serpins, mas ainda não se registam evacuações em aldeias, que têm meios de socorro para proteger as populações.

13 feridos no combate ao incêndio de Vale de Cambra

Um outro incêndio na vila de Macieira de Cambra, em Vale de Cambra, já causou oito feridos e consumiu várias casas, segundo o Jornal de Notícias. Há pelo menos três viaturas, uma escola e algumas casas que foram consumidas pelas chamas. Foram para o hospital seis civis e dois bombeiros. A TVI24 avança que há mais cinco bombeiros que ficaram feridos na sequência de um despiste de automóvel. A SIC Noticías acrescenta que foi um carro de combate às chamas que capotou.

O Jornal de Notícias diz que as chamas estão a ser combatidas por várias corporações de bombeiros e um meio aéreo do distrito de Aveiro, e que a rede SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal) está a funcionar com algumas falhas. Quatro frentes ativas em Seia

Em Seia, o fogo no mato é “de grande dimensão e tem quatro frentes ativas”, adiantou Patrícia Gaspar, sustentando que já foram retiradas 30 pessoas das casas por precaução, disse o presidente da Câmara, Carlos Filipe Camelo, à agência Lusa. No combate às chamas estão 263 operacionais, 83 viaturas e um meio aéreo.

Patrícia Gaspar adiantou ainda que também no concelho da Guarda há outro incêndio de grande dimensão a lavrar, além dos fogos nos distritos de Viseu e Braga. A adjunta do comando nacional da ANPC disse ainda que desde as 00h00 de hoje registaram-se 129 incêndios florestais.

Mais de 80 concelhos de 15 distritos do continente em risco máximo de incêndio

Mais de 80 concelhos de 15 distritos de Portugal continental apresentam este domingo risco ‘máximo’ de incêndio, segundo o IPMA. De acordo com a informação do IPMA, estão sob este alerta mais de 80 concelhos dos distritos de Faro, Beja, Portalegre, Leiria, Santarém, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Viseu, Aveiro, Porto, Bragança, Braga Vila Real e Viana do Castelo.

O IPMA colocou ainda em risco ‘muito elevado’ e ‘elevado’ de incêndio vários concelhos de todos os distritos de Portugal continental. O risco de incêndio determinado engloba cinco níveis, que podem variar entre o ‘reduzido’ e o ‘máximo’.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Às 08h00, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) dava conta de 13 incêndios em curso, 12 em resolução e 19 em fase de conclusão.

Os que mais preocupam as autoridades são os incêndios que estão a lavrar em Cinfães, no distrito de Viseu, em Monção, no distrito de Viana do Castelo, e em Vieira do Minho, no distrito de Braga, que estão a ser combatidos por 227 bombeiros, apoiados por cerca de 70 viaturas.

O IPMA prevê para hoje céu pouco nublado, apresentando temporariamente períodos de maior nebulosidade por nuvens médias e altas. O vento soprará em geral fraco do quadrante leste, tornando-se moderado (20 a 35 km/h) do quadrante sul durante a manhã e por vezes forte (até 40 km/h) e com rajadas até 65 km/h no litoral oeste.

Nas terras altas, o vento será moderado a forte (30 a 40 km/h)do quadrante sul, tornando-se forte (40 a 55 km/h), com rajadasaté 80 km/h, durante a tarde e em especial no litoral norte e centro.

Prevê-se ainda uma pequena subida da temperatura máxima, em especial no litoral norte e centro e pequena descida no Baixo Alentejo e Algarve.

As temperaturas máximas previstas para hoje são de 31 graus centígrados em Lisboa, 35 no Porto, 31 em Bragança e em Braga, 27 em Faro e 25 em Sagres.

Bombeiros.pt / Observador

 




Sobre quem enviou a noticia

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.