Marcelo apoia bombeiros: “É preciso mais do que um peditório”

0

Miguel Tiago acredita que o que é feito em relação aos bombeiros em Portugal é “uma obscenidade” e que a responsabilidade de os apoiar financeiramente é do Estado e do Governo.

O Presidente da República associou-se recentemente a uma campanha promovida pela Rádio Renascença com o objetivo de ajudar as corporações de bombeiros portuguesas. A iniciativa ‘Juntos pelos Bombeiros’ foi lançada a poucos dias do Natal.

Para Miguel Tiago, contudo, “um país em que altas figuras do Estado fazem anúncios para campanhas de estações de rádio para ajudar bombeiros que deviam ter um orçamento digno por parte do Governo da República é um país em que algo vai mal”.

O deputado do PCP ano encara de bom grado a necessidade de uma campanha deste género, por considerar que não deveria ser preciso – como é feito na iniciativa – pedir dinheiro aos portugueses para ajudar uma causa pela qual o Estado é responsável.

“O que está mal é a necessidade em si mesma: de apelar ao financiamento particular de uma tarefa que devia ser do Estado. Ou então deixamos a proteção civil e o financiamento dos bombeiros lá no século XIX onde as associações humanitárias dependiam única e exclusivamente da bondade dos sócios locais”, explicou o comunista, certo de que “a participação da estrela de TV que é simultaneamente PR é só um extra na obscenidade toda que é pedir dinheiro às pessoas para coisas que devia ser o Estado a garantir”.

Miguel Tiago remata em tom irónico a publicação feita na sua página no Facebook: “Tal é, mascarada pela caridade como é sua função, a dignidade que Governo e PR reconhecem aos bombeiros, sua missão e suas vidas, a de um peditório. E é pouco. É muito pouco. Era preciso mais do que abraços e palavras e certamente mais do que um peditório”.

Notícias ao Minuto




Sobre quem enviou a noticia

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.