Mais de 700 bombeiros combatem incêndio em Oliveira de Frades

0

Fogo alastrou para concelho vizinho de Sever do Vouga, no distrito de Aveiro, e dirige-se para o concelho de Águeda.

O incêndio em Oliveira de Frades, Viseu, alastrou para o concelho vizinho de Sever do Vouga, no distrito de Aveiro, e dirige-se para o concelho de Águeda, tendo cerca das 07h50 711 operacionais no terreno, segundo a Proteção Civil.

Cerca das 05h30, o incêndio, que obrigou ao reforço de meios durante a madrugada, era combatido por 698 operacionais, mais 250 que ao início da noite, apoiados por 225 veículos, de acordo com a informação disponível no ‘site’ da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

O fogo chegou ao concelho vizinho de Sever do Vouga ao início da noite e pode alastrar ao concelho vizinho.

Fonte do Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Aveiro, onde os bombeiros combatem as chamas no concelho de Sever do Vouga, disse à Lusa que o vento continua a dificultar o trabalho dos bombeiros, numa altura em que o incêndio se dirige já também para o concelho de Águeda, com muitas povoações na linha do incêndio.

“Para já tem-se conseguido defender todas estas povoações que estão na linha do incêndio, com grande esforço”, informou o comandante distrital de operações de Aveiro, António Ribeiro.

O vento forte tem dificultado o combate, confirmou a mesma fonte.

“O fogo continua com forte progressão, por causa dos ventos fortes, de 50 quilómetros por hora, e está a passar neste momento para o concelho de Águeda”, precisou o comandante, sublinhando as dificuldades enfrentadas pelos bombeiros.

“Está a ser um combate muito difícil, tanto pelas condições do terreno, como pelo vento. Esperemos que o vento comece a abrandar com o nascer do dia, para termos condições de combate”, disse à Lusa.

Um bombeiro de 41 anos morreu na segunda-feira enquanto combatia este incêndio no concelho de Oliveira de Frades, onde o comandante nacional da Proteção Civil, Duarte da Costa, apelou à “tolerância zero no uso do fogo”.

No ‘site’ da ANEPC, cerca das 05H50, havia ainda um incêndio em fase de resolução no distrito da Guarda, em zona de mato, em Vila Chã, no concelho de Seia, que continuava a mobilizar 121 operacionais, apoiados por 34 veículos.

No distrito de Braga, em Celorico de Basto, um incêndio ativo em zona de mato tinha ainda no terreno, à mesma hora, 101 operacionais e 29 viaturas.

Fonte: Correio da Manha / LUSA

About author

Paulo Reis

Paulo Reis

É natural e residente em Esmoriz, a sua vida profissional está ligada à indústria automóvel nestes últimos 25 anos como CAD Designer. É um dos fundadores da Rádio Voz de Esmoriz, onde apresentou o programa de rádio “Bombeiros em Missão”. Está ligado desde tenra idade aos Bombeiros de Esmoriz onde fez parte da orquestra do Grupo Cénico e hoje, ocupa o posto de Subchefe. Foi responsável pelo Grupo de Comunicação & Imagem dos BV Esmoriz e integrou a equipa do portal bombeirosdeportugal.com. É o responsável do Departamento de Relações Públicas do portal Bombeiros.pt