MAI explica polémica com bombeiros espanhóis e adianta que estão já a aguardar a chegada de mais 80 operacionais

0

A imprensa galega avança que um grupo de bombeiros espanhóis terá sido impedido pelas autoridades portuguesas de entrar no país.

Confrontada pela imprensa espanhola com esta situação, a ministra da Administração Interna explicou que é necessário garantir condições de segurança e que os bombeiros têm de ser “devidamente coordenados pelas autoridades nacionais de proteção civil”.

Constança Urbano de Sousa explica que “não podemos estar aqui com voluntarismos sob pena dessas pessoas poderem colocar em risco não só a sua vida como as demais”.

A ministra da Administração Interna confirmou entretanto que 80 bombeiros espanhóis deverão juntar-se aos operacionais portugueses no terreno, elevando para 140 o número de bombeiros espanhóis em Portugal.

Os 80 bombeiros espanhóis chegam hoje a Portugal para ajudar no combate ao incêndio de Góis.

Segundo a Lusa 40 bombeiros da Galiza chegam a Portugal por via terrestre com viaturas próprias e vão ser integrados numa coluna nacional. Os outros 40 operacionais vêm de várias regiões espanholas por helicóptero.

A chegada dos 80 bombeiros espanhóis para combater o incêndio de Góis insere-se no acordo bilateral existente entre Portugal e Espanha.

Também ao abrigo deste acordo estão a combater os incêndios da região centro de Portugal, desde domingo, bombeiros espanhóis e dois aviões `Canadair`, que segundo apurou o portal bombeiros.pt caiu durante a tarde de hoje no incêndio de Pedrogão Grande.

O incêndio em Góis, no distrito de Coimbra, deflagrou pelas 15:00 de sábado e mobiliza 661 bombeiros, 228 viaturas e cinco meios aéreos.

O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 150 feridos.

 




Sobre quem enviou a noticia

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.