(dr)

 A lista candidata aos Órgão Sociais da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) liderada por José Barreira Abrantes tem vindo a marcar posição na corrida para as eleições a realizar no Congresso da LBP no próximo mês de Outubro.

Em comunicados a que a Redacção do Portal Bombeiros.pt teve acesso, a candidatura de José Barreira Abrantes tem vindo a ser muito crítica acerca das informações reveladas pelo programa da RTP “Sexta às 9”. Desta feita, é manifestada por esta equipa a “estranheza, pela forma como todo o processo de contratações e gestão dos dinheiros públicos foi conduzido”.

E a crítica sobe de tom quando esta lista constata que “a atual liderança da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) estivesse fora de todo este processo, uma vez que a Confederação é sócia da Escola Nacional de Bombeiros (ENB), em parceria com a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC)”, sublinhando que não é aceitável que “estes casos não tenham sido denunciados atempadamente”.

“Condenamos a passividade, a inércia, o vazio de afirmação e conivência da Liga dos Bombeiros Portugueses neste processo, onde deveria ter tido uma atitude enérgica de alerta e denuncia, deste tipo de procedimentos, concretizados através da Escola Nacional de Bombeiros (ENB)”, acentua José Barreira Abrantes a crítica ao Conselho Executivo em funções.

No meio de acusações de falta de clareza e de transparência na gestão de dinheiros públicos por parte da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), a lista concorrente às eleições de Outubro acentua que não é aceitável “que a coberto do nome “Bombeiros”, assente uma estrutura diretiva e operacional e sejam tomadas decisões, que em nada nos beneficiam, arrastando-nos indiretamente para situações a que somos alheios.”

O comunicado termina com o receio de que o bom nome dos Bombeiros Portugueses possa servir para “branquear e escamotear a verdadeira realidade”, fazendo-os “perder um pouco mais da sua já diminuta identidade e presença no sector, em favor de outros.”

A candidatura “reconhece e enaltece o esforço de todos os Bombeiros de Portugal, em todos os Teatros de Operações, em qualquer uma das missões que lhes são confiadas”, sublinhando que “é na recuperação e afirmação da identidade dos Bombeiros de Portugal que o sistema de proteção e socorro encontrará a sua estabilidade, eficiência e coesão.”