Jornadas do Pré-Hospitalar do Distrito de Castelo Branco decorreram no passado fim de semana

0

José Neves, Comandante dos Bombeiros de Castelo Branco. FOTO JORNAL RECONQUISTA

O trabalho dos bombeiros e de outros atores em situações de prevenção e socorro vai muito para além dos incêndios de verão. O debate teve lugar em Castelo Branco.

Os Bombeiros Voluntários de Castelo Branco realizaram no último fim de semana, dias 8 e 9, as Jornadas do Pré-Hospitalar do Distrito de Castelo Branco. Uma iniciativa que foi ao encontro do trabalho efetuado por diversos setores das atividades de segurança e de socorro que atuam no terreno ao nível da prevenção, mas também da intervenção direta em diversas situações de emergência.

A multiplicidade de temas foi discutida através de diversos painéis com a participação de especialistas nas áreas respetivas ao longo de todo o dia de domingo no Cine Teatro Avenida. No momento da abertura dos trabalhos, o comandante dos bombeiros albicastrenses, José Neves, elogiou o trabalho dos bombeiros que prepararam minuciosamente esta realização, num desafio que chegou a bom porto precisamente pelo empenho nele colocado.

Do mesmo modo, o comandante albicastrense lembrou a necessidade de serem debatidos e aprofundados todos os temas em análise nestas jornadas, destacando logo ali a segurança em provas de rali, pelas especificações técnicas envolvidas. “A realização deste tipo de provas lançam-nos muitos desafios e nos últimos anos, graças às atividades desenvolvidas pela Escuderia de Castelo Branco, temos sido chamados ao terreno para prevenir e atuar sempre que necessário”, referiu este responsável.

José Neves reconhece que “existe um défice de formação nesta área” pelo que entende que a Escola Nacional de Bombeiros “deveria estar mais atenta a esta realidade”. Contudo, como frisou, a mesma primou pela ausência nesta iniciativa, cujo painel de abertura foi precisamente agendado com este tema.

Luís Dias, da Escuderia de Castelo Branco, protagonizou o primeiro painel, sobre “Procedimentos de segurança para as equipas de socorro numa prova de rali”, seguindo-se o tema “Especificações dos veículos de competição”, por Eliseu Valente, comissário técnico da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting. Ambos vincaram detalhadamente diversos fatores de segurança a ter em conta quer na organização de eventos quer na preparação do equipamento, dos pilotos e dos carros de competição, recorrendo à vasta experiência neste tipo de eventos desportivos das instituições que representam.

Houve ainda o testemunho de um piloto de competição, Nélson Trindade, sobre o modo como as competições são vividas dentro das viaturas em plena prova, onde a emoção e o stress em muitos casos disparam. Deu inclusivamente testemunho de alguns acidentes em que esteve envolvido com o seu navegador, elogiando desde logo o trabalho de todos os que, na organização das provas, preparam minuciosamente todos os procedimentos de segurança e de socorro.

Na sessão de abertura das jornadas, Maria José Batista, vereadora da Câmara de Castelo Branco, lembrou que “as populações ligam sobretudo ao trabalho dos bombeiros na época dos incêndios florestais, mas ele é muito mais do que isso e é importante reconhecer e debater toda a restante atividade na preparação e intervenção em diferentes missões”. Francisco Peraboa, Comandante Operacional Distrital da Proteção Civil de Castelo Branco, enalteceu precisamente a importância do debate em torno de todas as restantes questões que também fazem parte do quotidiano dos bombeiros e dos restantes operacionais que contribuíram para a realização destas jornadas, enquanto que o presidente da Associação Humanitária do Bombeiros Voluntários de Castelo Branco, Manuel Eusébio, sublinhou “a preocupação constante por parte do nosso comando em reforçar a formação nos diferentes níveis de atuação”.

Ainda durante a manhã, André Morais, da FEMEDICA e VMER da ULS de Castelo Branco interveio sobre a “Estabilização, extração, avaliação de vítimas de acidentes em provas de competição”.

Já durante a tarde, o primeiro painel ficou a cargo do Comandante Operacional Distrital do Comando Distrital de Operações de Socorro de Castelo Branco, Francisco Peraboa, sobre “Acidentes multivítimas e organização do teatro de operações”, e o segundo painel a cargo dos responsáveis da VMER da ULS de Castelo Branco, sobre “Triagem Strart”.

Esta iniciativa começou contudo no sábado, em pleno centro cívico albicastrense, com rastreios de glicémia, tensão arterial e demostrações das práticas de suporte básico de vida, envolvendo não só os operacionais dos bombeiros, como alunos da Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias, do Politécnico de Castelo Branco, e a equipa da Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco. Nesse mesmo dia, teve ainda lugar um simulacro de colisão rodoviária, obrigando à intervenção dos bombeiros e da Viatura Médica de Emergência e Reanimação do Instituto Nacional de Emergência Médica.

Reconquista




Sobre quem enviou a noticia

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.