INEM lamenta que se queira criar mal-estar com corpos de bombeiros

0
Imagem ilustrativa

Imagem ilustrativa

O INEM lamentou hoje que se queira criar “mal-estar” entre esta instituição e os corpos de bombeiros, depois de a comissão de trabalhadores ter pedido esclarecimentos sobre o encerramento noturno de ambulâncias de emergência médica na região Centro.

A comissão de trabalhadores (CT) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) pediu hoje esclarecimentos sobre o encerramento no período noturno do serviço de ambulâncias de emergência médica (AEM) em Viseu, na Covilhã e em Aveiro.

Numa carta enviada ao conselho diretivo do INEM, a comissão refere ter sabido que “a AEM Viseu 3 encerrou no período noturno e que as AEM Covilhã e AEM Aveiro vão encerrar nos períodos noturnos”.

Em resposta, o INEM disse querer contrariar esta tentativa de criar mal-estar entre as partes e referiu que o Sistema integrado de emergência médica “é uma entidade em que todos contribuem, de forma solidária, e cada um na sua vertente, para o socorro e a emergência médica da população portuguesa”.

“E lembramos, mais uma vez, que as ambulâncias AEM do INEM e as ambulâncias de socorro, constituídas como postos PEM [postos de emergência médica] dos bombeiros, desempenham funções semelhantes”, indicou o instituto nacional.

A CT quer ainda saber se o conselho diretivo do INEM “vai ceder às pressões dos corpos de bombeiros e encerrar as AEM Aveiro e AEM Covilhã no período noturno (esta última cuja atuação está já limitada por indicações da diretora regional do Centro)”.

O INEM diz ainda não estar em causa nenhum posto de trabalho e fala da intenção de aumentar em 85 o número de técnicos, já em setembro, e de ter já solicitado a abertura de concursos para mais 100.

(Fonte: Lusa)

 




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).