Incêndios: Miranda do Corvo activa o Plano Municipal de Emergência

0

Estão em risco várias casas. O presidente da câmara de Ferreira do Zêzere também admite activar ainda esta noite o Plano Municipal de Emergência.

Sábado amanheceu mais calmo, mas arrisca-se a igualar ou até a superar o número de incêndios florestais registado na sexta-feira — 220 incêndios, o maior número deste ano num só dia. Isto se se mantiver o ritmo de fogos, afirmou esta tarde Patrícia Gaspar, adjunta nacional de operações da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC).

Fonte da câmara disse à Lusa que o incêndio começou no concelho de Coimbra, mas evoluiu rapidamente para Miranda do Corvo, tendo subido a encosta da Estrada da Beira.

Em Cantanhede o fogo que deflagrou ao início da tarde de sexta-feira reactivou durante a tarde, com uma frente “muito rápida e forte”, segundo Patrícia Gaspar. As chamas levaram ao corte da A14 – Autoestrada do Baixo Mondego, nos dois sentidos.

Na Mealhada, distrito de Aveiro, o incêndio que deflagrou na quinta-feira e que tinha sido dominado durante a noite, reactivou igualmente pelas 16h53 e está “a arder com muita intensidade”, informou também a Protecção Civil.

As chamas também se reacenderam em Ferreira do Zêzere (distrito de Santarém). “O fogo já entrou na localidade de Beco e está a ir em direcção a Dornes. Está medonho”, disse à agência Lusa o presidente do município, Jacinto Lopes, referindo que “há casas em risco”.

De acordo com o autarca, as chamas estão “a aumentar de intensidade” e lavram de forma descontrolada, considerando que “vai ser muito complicado” combater o fogo. “Só agora é que vamos ter meio aéreo”, notou Jacinto Lopes ao fim do dia, referindo que, por o céu estar “muito negro”, poderá ser difícil para o meio aéreo operar.

O presidente da câmara de Ferreira do Zêzere referiu que às 20h vai decorrer uma reunião, na qual poderá ser decidida a activação do Plano Municipal de Emergência.

O Exército fez saber entretanto que quase 600 militares e 116 viaturas estão no terreno a ajudar no combate aos incêndios em vários pontos do país.

Fonte: www.publico.pt

Sobre o autor

Pedro Fonseca

Pedro Fonseca

É natural e residente em Gouveia, a sua vida profissional está ligada nestes últimos 16 anos à área de consultadoria em seguros. Em 2013 foi fundador da empresa LICATEL - Soluções em Telecomunicações onde é sócio/gerente. Desde tenra idade ingressou nas camadas jovens dos Bombeiros de Gouveia tendo permanecido alguns anos nos quadros, ultimamente passou pela Direcção da referida Instituição dinamizando a área de comunicação e imagem. Frequentou a licenciatura em Gestão de Marketing no IPAM de Aveiro. Passou por diversas Associações de Gouveia dando o seu contributo.