Incêndio pode ser extinto até ao final da manhã. Há 157 feridos

0

“As condições meteorológicas continuam adversas e as temperaturas poderão atingir os 43 graus”, diz o comandante operacional da Proteção Civil.

O comandante operacional da Proteção Civil fez há instantes o primeiro balanço desta terça-feira, no seguimento dos incêndios que lavram desde sábado na região que envolve Pedrógão Grande.

“Os trabalhos decorreram de acordo com o planeado durante a noite passada. Foi aproveitada a janela de oportunidade para extinguir um dos pontos quentes e esperamos que até ao final da manhã o outro ponto quente seja extinto”, começou por referir Vítor Vaz Pinto.

“As condições meteorológicas continuam adversas” no Centro do país. “O quadro meteorológico é semelhante ao dos últimos dias, com humidade baixa e vento forte, e as temperaturas poderão atingir os 43 graus”.

Neste momento, encontram-se a combater as frentes ativas 1.153 operacionais, apoiados por 391 veículos, 13 meios aéreos e 11 máquinas de rasto. “Os trabalhos vão ser muito demorados”. O incêndio que se iniciou em Pedrógão Grande teve uma “propagação fulminante e explosiva. Havia pouco a fazer e o que podia ser feito foi feito”, clarificou Vítor Vaz Pinto.

O balanço atual da tragédia do passado sábado é de 64 mortos, 157 feridos – dos quais sete são feridos graves (uma criança, quatro bombeiros e dois civis) -, 38 evacuados/transferidos e 403 assistidos.

Noticias ao minuto

 




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.