Guarda e Castelo Branco em risco muito elevado de incêndio

0

incendioOs concelhos de Monchique, no distrito do Faro, Mação e Sardoal, em Santarém, e Vila de Rei, em Castelo Branco, apresentam esta terça-feira risco máximo de incêndio, de acordo com informação disponível na página do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) na Internet.

Segundo o IPMA, vários concelhos dos distritos de Faro, Setúbal, Beja, Évora, Portalegre, Castelo Branco, Coimbra, Leiria, Viseu e Guarda apresentam risco muito elevado de incêndio.
O cálculo é feito com base nos valores observados às 13 horas de cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.
A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou na segunda-feira 35 incêndios que foram combatidos por 468 operacionais, com o apoio de 145 veículos.

O IPMA prevê para esta terça-feira no continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de muita nebulosidade nas regiões do litoral oeste a sul do Cabo Mondego até meio da manhã, vento moderado de noroeste, soprando moderado a forte no litoral oeste e nas terras altas, com rajadas da ordem de 70/80 quilómetros por hora e descida de temperatura, sendo acentuada da temperatura máxima.

Em Lisboa as temperaturas vão oscilar entre os 15 e os 21 graus Celsius, no Porto entre 11 e 20, em Viseu e em Bragança entre 10 e 22, na Guarda entre 9 e 19, em Castelo Branco e em Portalegre entre 15 e 27, em Évora entre 11 e 28, em Beja entre 14 e 29, em Faro entre 16 e 27, em Setúbal entre 15 e 22, em Coimbra entre 12 e 22 e em Santarém entre 14 e 23.

Beira.pt

 




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.