Grupo de sócios quer destituir órgãos sociais dos Bombeiros Portuenses

0

bvportMais de cem sócios da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Portuenses convocaram para terça-feira uma assembleia-geral extraordinária “para destituição de todos os órgãos sociais”, disse hoje à Lusa um dos associados.

A informação foi adiantada à Lusa pelo médico Manuel Vaz, sócio dos Bombeiros Portuenses, que acusa a atual direção de ser “prepotente” e de ter alterado os “estatutos” da associação, impedindo que a Assembleia Geral possa ter uma posição “vinculativa” em “relação a determinados assuntos”.

Entretanto, o presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Portuenses convocou através de um anúncio publicado num jornal uma “assembleia geral eleitoral” para realização de eleições antecipadas” no dia 15 de julho.

Na convocatória, o presidente Fernando Meira Ramos refere que “não existem condições externas para o funcionamento dos órgãos dirigentes da associação” que lhes permitam atuar “em condições normais, sem pressões e ambientes adversos”.

De acordo com o sócio Manuel Vaz, a assembleia geral extraordinária de terça-feira, “para destituição de todos os órgãos sociais”, está agendada para as 20:00, podendo realizar-se uma hora depois no caso de, nesse momento, não existir quórum.

Manuel Vaz admite saber que “um conjunto de sócios” apresentou contra a atual direção dos Bombeiros Portuenses “queixas no Departamento de Investigação e Ação Penal”, mas preferiu destacar a realização da reunião para destituir os seus órgãos sociais.

“Temos uma direção prepotente, que alterou os estatutos que regem a associação e delibera acerca de vários assuntos que deixaram de ser decididos em Assembleia Geral e pelos próprios profissionais”, lamentou o associado.

No anúncio em que anuncia a realização de eleições antecipadas, o presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Portuenses, Meira Ramos, refere-se à “degradação das relações internas, com desrespeito pela necessária autoridade e hierarquia, causando a instabilidade no corpo de bombeiros, entre voluntários, profissionais e até os próprios sócios”.

“Tendo em consideração que após ter indeferido, por razões que entendi do interesse da associação, o pedido de demissão que o presidente da direção me apresentou em 14 de maio, este me reiterou a sua disposição de não manter o exercício daquelas funções para além dos 17 meses de mandato, iniciado em janeiro de 2013”, começa por esclarecer o responsável.

Por estes motivos, justifica, decidiu “convocar eleições antecipadas para todos os órgãos dirigentes, abrangendo direção, conselho fiscal e mesa da assembleia geral”.

O ato eleitoral foi agendado para dia 15 de julho, das 19 às 23 horas.

A convocatória acrescenta que, de acordo com os estatutos, “os novos titulares dos órgãos dirigentes exercerão funções até às eleições ordinárias, que serão obrigatoriamente convocadas para a primeira quinzena de dezembro de 2015”.

A Lusa tentou, sem sucesso, contactar a direção e o presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Portuenses.

Fonte: JN




Sobre quem enviou a noticia

Mónica Costa

Mónica Costa

É natural de Tabuaço, licenciada em Comunicação e Relações Económicas e Mestre em Marketing e Comunicação. Foi jornalista na Rádio F até 2013 e apesar de nunca ter estado diretamente ligada ao mundo dos bombeiros, acompanhou sempre com um enorme respeito e admiração o seu trabalho. Na atualidade integra a equipa da Direção informativa do portal bombeiros.pt.