Fumo que cerca o Porto deve manter-se, mas fogos estão controlados

0

A cidade do Porto acordou cercada por uma nuvem de fumo, de tal forma opressiva que dificultava a respiração a quem saiu à rua na Invicta durante as primeiras horas da manhã desta sexta-feira.

Onde há fumo, há fogo. E embora não seja na cidade, o Porto está cercado por incêndios em concelhos limítrofes, particularmente nas zonas de Trofa e Santo Tirso, os mais próximos, e também Amarante, entre outros. Era daí que vinha o fumo que cercava a cidade pela manhã.

Segundo fonte da Proteção Civil do Porto, os vários fogos que lavraram durante a noite e madrugada estão “controlados”, apesar dos vários reacendimentos noturnos, prontamente combatidos pelos bombeiros.

Foram quase 20 incêndios, todos florestais, sem feridos a registar ou danos em habitações. Ainda segundo a Proteção Civil, não havia povoações em perigo.

Mais de 100 bombeiros, com o apoio de cerca de treze dezenas de viaturas, estavam envolvidos em operações de rescaldo em quase 20 fogos no distrito do Porto, às primeiras horas da manhã desta sexta-feira.

O mais significativo estava a consumir mato no lugar de Querelo, na freguesia de Covelas, na Trofa. Concentrava 32 operacionais, de 13 corporações de bombeiros do distrito do Porto, desde Vila do Conde a Valongo.

O ar difícil de tragar é que deve manter-se por mais horas no Porto, mas especialmente nos concelhos mais afetados pelos fogos. A diminuição da força vento vai ajudar ao trabalho dos bombeiros, mas dificulta a dissipação do fumo.

O distrito do Porto é apenas um dos afetados por uma vaga de incêndios que cobre o país, arrastada pelas temperaturas elevadas dos últimos dias, e que devem manter-se mais uma semana.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), mais de 70 concelhos dos distritos de FaroSantarémLeiriaCoimbraViseuCastelo BrancoPortalegreGuardaVila RealBragança e Faro apresentam hoje um perigo máximo de incêndio rural.

E., ao contrário do que acontece no Porto, há distritos e concelhos em que os incêndios causaram feridos e ameaçam habitações. Às 7 horas, segundo a Agência Lusa, quatro grandes incêndios continuavam ativos nos distritos da Guarda, Bragança, Aveiro e Santarém, e neste, o número de feridos ligeiros subiu para seis, de acordo com informação da proteção civil.

A essa hora, quase 1400 operacionais combatiam os quatro fogos localizados em Ourém (distrito de Santarém), Benespera (Guarda), Carrazeda Ansiães (Bragança) e Sever do Vouga (Aveiro).

Fonte: Jornal de Noticias

About author

Paulo Reis

É natural e residente em Esmoriz, a sua vida profissional está ligada à indústria automóvel nestes últimos 25 anos como CAD Designer. É um dos fundadores da Rádio Voz de Esmoriz, onde apresentou o programa de rádio “Bombeiros em Missão”. Está ligado desde tenra idade aos Bombeiros de Esmoriz onde fez parte da orquestra do Grupo Cénico e hoje, ocupa o posto de Subchefe. Foi responsável pelo Grupo de Comunicação & Imagem dos BV Esmoriz e integrou a equipa do portal bombeirosdeportugal.com. É o responsável do Departamento de Relações Públicas do portal Bombeiros.pt