Fogos em áreas protegidas menos vigiados

0

incendioO Instituto de Conservação da Natureza e Florestas tem menos 32 equipas e menos 163 elementos de vigilância e primeira intervenção em incêndios nas áreas protegidas. Só a Peneda-Gerês perde 108 homens.

A conclusão resulta da comparação dos dados sobre os meios do ICNF associados às áreas protegidas constantes nos dispositivos especiais de combate aos incêndios florestais (DECIF) deste ano e dos anos anteriores.

Analisando-se os meios disponibilizados pelo ICNF na fase “Charlie” – a de maior perigo, de 1 de julho a 30 de setembro – verifica-se que este ano há 48 equipas de vigilância da natureza e primeira intervenção com 181 elementos, associadas “às matas nacionais e áreas protegidas”.

Em 2011, 2012 e 2013, só para as áreas protegidas (excluindo as matas nacionais), o ICNF indicou 58 equipas e 238 elementos, incluindo sapadores florestais. Em contrapartida, os meios alocados em 2014 diretamente àqueles espaços são 26 equipas e 75 vigilantes da natureza (não há sapadores) – menos 32 equipas e 163 operacionais.

FONTE – JN




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.