Faltam efetivos e formação profissional aos bombeiros, frisa associação

5

Fernando Curto, presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, diz que «é preciso pensar de uma vez por todas o setor dos bombeiros e da proteção civil».

A Associação Nacional de Bombeiros Profissionais reiterou a ideia de que falta efetivos e formação profissional no combate aos incêndios.

Em declarações à TSF, o presidente desta associação insistiu na necessidade de haver uma «maior disponibilidade e uma aposta muito maior naquilo que tem a ver com toda a organização de comando que existe».

Fernando Curto explicou que esta posição tem sido repetida ao longo dos últimos anos e que agora «é preciso pensar de uma vez por todas o setor dos bombeiros e da proteção civil».

Este dirigente entende ser necessária uma nova visão no que tem a ver com a «organização no teatro de operações, formação de comandos, organização de primeira intervenção».

Para além disto, Fernando Curto referiu ainda que a «aposta na profissionalização é sem dúvida a solução para resolver muitos problemas» relacionados com os incêndios.

About author

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda.
Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe.
É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.

  • Lá vem mais um que se está a fazer à Autoridade! Oportunistas, é o que chamo a esta gente! Ainda nem os incêndios estão apagados e já a fogueira das vaidades vai sendo ateada. Talvez muitos dos que aqui lêem notícias não saibam, mas já uma vez perguntámos a este mesmo personagem o porquê de não deixar usar a palavra a pessoas que estavam num acontecimento organizado pela associação que preside e onde estava o Secretário de Estado da Protecção Civil de então. As pessoas tinham críticas a fazer ao estado de coisas e ELE não deixou que se falasse! É preciso muita lata para andar sempre a bajular os Governos e depois mandar larachas destas para a comunicação social! É uma atitude muito curta, oh! Curto!

    • Eu diria, que era preciso varrer com
      determinadas pessoas que só dão tiros nos pés… Ele é livros brancos, pretos, cor-de-rosa,
      relatórios atrás de relatórios, para chegarmos ao final da chamada “época
      de incêndios florestais” e fica tudo na mesma. É preciso mudar alguns
      Comandantes distritais, que estão a tempo de mais na estrutura, mas, que nem por isso trazem
      valor acrescentado. Vejam as estatísticas da Autoridade Nacional Florestal,
      vejam quais são os distritos que mais ardem para concluírem a ineficácia das
      estruturas distritais, que neste momento acabam por ser a base do problema no
      que respeita ao comandamento das operações…

  • Nada melhor para aproveitar algumas citações de uma entrevista realizada ao presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso que realça a importância do voluntariado nos bombeiros portugueses, como uma demonstração evidente de maturidade das comunidades locais, de organização e resposta às suas necessidades.
    Cita-se:
    “OS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS SÃO PARA MIM UMA REFERÊNCIA”
    “O voluntariado é uma componente fundamental da cidadania activa e da democracia.”
    “O voluntariado, (…) reforça (…)o sentimento de pertença e de proximidade às respectivas comunidades.” “É importante suscitar um debate alargado sobre as políticas de apoio e incentivo ao voluntariado .”
    “O voluntariado (…)dos bombeiros. É uma realidade comum a toda a UE, mas que em Portugal se faz sentir de forma particular.”
    “(…) haverá sempre um défice de gratidão para com os que escolhem o voluntariado para apoiar o seu semelhante.”
    “Há um papel importante a fazer de sensibilização da comunidade, para que haja novas adesões ao voluntariado.”
    Durão Barroso numa entrevista com Rui Rama da Silva (2011)

  • Anonimo

    O Sr Fernando Curto quando fala dos profissionais á que os dividir em dois sectores: os profissionais dos corpos de bombeiros mistos e os profissionais do RSB, são dois profissionalismo totalmente diferentes.
    Os profissionais dos corpos de bombeiros , fazem todo o tipo de serviço em prol da população , enquanto os ” Sapos” do RSB fazem muita coisa , mas só o que cheira .
    Sr Fernando Curto, os Comandantes que estão á frente dos CDOS e CNOS estão no activo e são operacionais, tiveram e têm formação em liderança e técnicas de combate e não se escondem atrás das camaras a falar o que querem , são homens do terreno aos quais devia mostrar respeito perante eles, se existe falta de organização nos teatros de operações é porque o senhor á já muito tempo não acompanha as saídas e os teatros de operações do RSB , os quais deixam muito a desejar.
    Deixemos de histerismos e lutemos por um único significado:
    A protecção em condições das pessoas e bens .

  • Castanheira

    Alterem a legislação… Com mais de 35 anos és velho (a) para bombeiro… a não ser que sejas licenciado… ai já podes.. palhaçada… Ser bombeiro (a) é um acto altruísta e a idade não deveria ser para ai chamada… 🙁