Faltam efetivos e formação profissional aos bombeiros, frisa associação

5

Fernando Curto, presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, diz que «é preciso pensar de uma vez por todas o setor dos bombeiros e da proteção civil».

A Associação Nacional de Bombeiros Profissionais reiterou a ideia de que falta efetivos e formação profissional no combate aos incêndios.

Em declarações à TSF, o presidente desta associação insistiu na necessidade de haver uma «maior disponibilidade e uma aposta muito maior naquilo que tem a ver com toda a organização de comando que existe».

Fernando Curto explicou que esta posição tem sido repetida ao longo dos últimos anos e que agora «é preciso pensar de uma vez por todas o setor dos bombeiros e da proteção civil».

Este dirigente entende ser necessária uma nova visão no que tem a ver com a «organização no teatro de operações, formação de comandos, organização de primeira intervenção».

Para além disto, Fernando Curto referiu ainda que a «aposta na profissionalização é sem dúvida a solução para resolver muitos problemas» relacionados com os incêndios.




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.