Faltam bombeiros no Aeroporto de Lisboa

0
Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Faltam efectivos no Regimento de Sapadores Bombeiros (RSB) de Lisboa para o destacamento do aeroporto, afirma a Associação Nacional de Bombeiros, que pede um reforço do número de elementos por turno.

A Associação Nacional de Bombeiros Profissionais/Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionais (ANBP/SNBP) diz, em comunicado, que “o reforço de efectivos por turno” no destacamento do Aeroporto de Lisboa poderá ser feito “recorrendo aos actuais elementos”.

Em causa, diz a associação, está a falta de sapadores bombeiros formados pela ANA – Aeroportos de Portugal, cujo curso de três meses é obrigatório para o desempenho de funções. A presença do RSB no Aeroporto de Lisboa resulta de uma parceria da ANA com a Câmara de Lisboa.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do ANBP/SNBP, Fernando Curto, explicou que a autarquia já “manifestou interesse em rescindir contrato” e que depois disso “não houve formação de bombeiros”.

Porém, esta rescisão ainda não foi divulgada, pelo que o RSB continua a prestar serviços no aeroporto, adiantou Fernando Curto.

O sindicalista referiu que o problema piora com as aposentações dos elementos, tornando-se difícil assegurar a presença de 12 bombeiros em cada turno – número apontado pelo responsável como necessário.

Assim sendo, só existem cerca de 10 por turno, aos quais se subtraem os que faltam por motivos de doença, assistência à família, entre outras razões. Esta situação leva a que os sapadores façam trabalho extraordinário que, de acordo com Fernando Curto, não é pago.

A posição já foi dada a conhecer pelo sindicato à Câmara de Lisboa.

Numa resposta escrita enviada à agência Lusa, o gabinete do vereador com o pelouro da Segurança, Carlos Castro, esclareceu que o protocolo só cessa a 31 de Dezembro de 2014.

Na mesma nota, a autarquia clarificou que “compete à ANA promover o curso de formação necessário para o desempenho das funções específicas no aeroporto”.

Segundo a Câmara, registou-se uma aposentação no final de 2013 e duas em Julho.

Fernando Curto, do ANBP/SNBP, frisou que o RSB deve manter o seu destacamento no Aeroporto de Lisboa porque isso dá “credibilidade e segurança” aos utentes.

(Fonte: RR)

 

About author

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).