Falta de vacina afeta socorro prestado pelos bombeiros

0

Soldados da paz correm risco ao transportar doentes com Covid-19.

Metade do efetivo das corporações de bombeiros de Peniche, Bombarral, Óbidos e Caldas da Rainha recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid-19. O facto de não se saber quando é que haverá a vacinação dos restantes operacionais motiva críticas, por condicionar o socorro prestado pelos soldados da paz.

O Centro de Saúde das Caldas da Rainha foi este sábado palco da vacinação de 69 bombeiros, que se juntaram aos 85 a quem foi administrada na semana passada, estando prevista para maio a segunda dose.

De fora ficaram centena e meia de operacionais. Marco Martins, responsável da corporação de Óbidos, sublinhou que houve necessidade de “suspender o serviço operacional dos voluntários, para os proteger do risco de contágio sobretudo no transporte de doentes Covid para o hospital”.

O comandante nas Caldas da Rainha, Nelson Cruz, declarou que “a população não conta só com 50 por cento dos bombeiros, conta com todos, e o que é estranho é como é que alguém que faz o planeamento do país não percebe que 85% do socorro pré-hospitalar é feito pelos bombeiros”.

Fonte: Correio da Manha

About author

Paulo Reis

Paulo Reis

É natural e residente em Esmoriz, a sua vida profissional está ligada à indústria automóvel nestes últimos 25 anos como CAD Designer. É um dos fundadores da Rádio Voz de Esmoriz, onde apresentou o programa de rádio “Bombeiros em Missão”. Está ligado desde tenra idade aos Bombeiros de Esmoriz onde fez parte da orquestra do Grupo Cénico e hoje, ocupa o posto de Subchefe. Foi responsável pelo Grupo de Comunicação & Imagem dos BV Esmoriz e integrou a equipa do portal bombeirosdeportugal.com. É o responsável do Departamento de Relações Públicas do portal Bombeiros.pt