Em Reportagem na Madeira: bombeiros de corpo e alma

0

Em três dias, o Portal Bombeiros.pt “correu” a Ilha da Madeira de uma ponta a outra com a intenção de conhecer os Corpos de Bombeiros e os seus veículos. As sensações foram muitas, mas a maior foi a certeza destes homens e mulheres estarem dedicados à sua comunidade de corpo e alma. Esta é a reportagem sobre o contacto com estes bombeiros portugueses.

“801 km2 de extrema complexidade!” Poderia começar assim a comunicação de qualquer especialista em engenharia da Protecção Civil ou de qualquer outro especialista em riscos extremos. Quanto a nós, Portal Bombeiros.pt, a Madeira e os seus bombeiros eram, até agora, quase ilustres desconhecidos. E assim, ao abrir no local os olhos e os ouvidos, e também a visão, para o papel importantíssimo destes homens em todas as missões que lhe são confiadas, desde Porto Santo, passando pela Ponta de São Lourenço e terminando na Ponta do Pargo, ficámos todos muito mais descansados, pois os Madeirenses e todos os que diariamente os visitam têm homens e mulheres dedicados a zelar pela sua segurança.

A história desta jornada, por terras redescobertas por Tristão Vaz Teixeira, João Gonçalves Zarco e Bartolomeu Perestrelo há exactamente 600 anos (1418 e 1419), começou com o desejo do Portal Bombeiros.pt em ter a sua base de dados completamente actualizada, tanto ao nível das imagens dos quartéis e veículos mas também das informações relativas aos corpos de bombeiros que existem no arquipélago da Madeira. Passados alguns anos desde a formulação desse desejo, a missão pode ser realizada e com uma fantástica recepção por parte dos nossos “irmãos” bombeiros madeirenses.

Todos reconhecem que a Madeira tem um clima especial e que por vezes “prega partidas” aos que almejam conhecê-la, nomeadamente ao nível da chegada à Madeira. Os ventos fortes e com direcção inconstante naquele que é um dos aeroportos mais desafiadores do mundo são uma das dificuldades para quem chega, mas também para quem recebe. Também nós, Portal Bombeiros.pt, estivemos dependentes desta característica especial e, após umas horas fechados no aeroporto de Lisboa, levantámos vôo cheios de dúvidas para explorar as condições de aterragem no Aeroporto Internacional com o nome do “astro” do mundo da bola Cristiano Ronaldo.

Talvez por influência do destino ou da força que os bombeiros têm para domar as dificuldades, os ventos da tempestade Félix estiveram a nosso favor e pudemos, finalmente, cumprir os primeiros passos da nossa missão. Um par de aviões conseguiu aterrar na Madeira no dia 9 de Março e o Portal Bombeiros.pt estava num deles.

Pés em terra, arregaçar mangas e calcorrerar as estradas, os caminhos, os túneis e as levadas da ilha. Percebemos as dificuldades do socorro, a dificuldade em chegar onde alguém desespera e o desejo de ter asas para voar sobre as dificuldades e ajudar o próximo. Ouvimos o espírito altruísta a falar mais alto e o empenhamento nesta causa de dar a mão a quem precisa, quando mais precisa.

Todos os corpos de bombeiros da Madeira têm bombeiros profissionais, desde os Sapadores, passando pelos Municipais e terminando nos Voluntários. A especificidade da ilha e das áreas onde estes bombeiros actuam assim o exige. A proximidade é essencial para socorrer, quando numa situação de aflição há caminhos bloqueados e impossibilidade em transitar. Daí a importância dos destacamentos no Curral das Freiras (dos Bombeiros Voluntários de Câmara de Lobos), em Santa de Porto Moniz (dos Bombeiros Voluntários de São Vicente e Porto Moniz) e da Camacha (dos Bombeiros Municipais de Santa Cruz), onde estivemos para conversar um pouco com os bombeiros de serviço e para conhecer a sua realidade e principais desafios.

Mas conhecemos as sedes também. Passámos pelos Bombeiros Municipais de Santa Cruz, os bombeiros que respondem às ocorrências, por exemplo, no aeroporto. Estivemos nos Bombeiros Voluntários de São Vicente e Porto Moniz, que guardam grande parte da famosa e bela Floresta Laurissilva. Conhecemos os Bombeiros Voluntários de Câmara de Lobos e a dificuldade da sua íngreme missão até ao alto da Eira do Serrado. Fomos aos Bombeiros Municipais de Machico e percebemos a sua importância em terra mas também no apoio ao salvamento por mar.

Olhámos com atenção para os Bombeiros Voluntário de Santana e para o papel importante que desempenham no resgate e salvamento. Falámos com os Bombeiros Voluntários da Ribeira Brava e compreendemos o desfio que a imensa ribeira (uma das que provocaram maiores danos no seu “20 de Fevereiro”) apresenta. Conhecemos também os Bombeiros Voluntários da Calheta e ficámos a perceber as dificuldades de trabalhar na maior área de actuação própria da ilha. Já no Funchal, estivemos nos Bombeiros Sapadores do Funchal e notámos a ordem e a actuação metódica. Atentámos também nos Bombeiros Voluntários Madeirenses e percebemos a sua importância para a celeridade na actuação. Faltou-nos estar com os Bombeiros Voluntários de Porto Santo, de forma conhecer o seu trabalho e as suas principais dificuldades, mas prometemos estar em breve.

Todos estes corpos de bombeiros têm a missão de assegurar o socorro pré-hospitalar. Não existe, no entanto, a incumbência do Transporte de Doentes, algo que está entregue a empresas privadas.

No percorrer da ilha da Madeira, percebemos os contextos sociais em que as diversas corporações se integram e as especificidades que exigem quando se trata de entrar em acção. Verificámos a necessidade de existir uma apurada e profícua cumplicidade entre corporações vizinhas de forma a que o socorro seja sempre bem sucedido.

Falámos sobre os fogos que atingiram a Madeira e a forma como todos os bombeiros se entregaram ao combate, apesar das dificuldades que a orografia e o muito combustível existente apresentaram. E tudo isto, homens e mulheres – bombeiros da Madeira e bombeiros de Portugal -, sempre com o sorriso no rosto, sempre com a certeza de darem e de fazerem o melhor em prol do seu semelhante, fale ele que língua falar, seja ele de que país for, esteja na Madeira em férias ou em trabalho. Todos merecem e obtêm o melhor destes bombeiros que vivem com o lema “Vida por Vida” bem junto ao coração.

Foram dias de intensa e difícil movimentação, estes que estivemos na Madeira, mas foram acima de tudo o confirmar de uma certeza que tínhamos desde sempre: em qualquer ponto do país, os Bombeiros Portugueses são sempre profissionais na resposta às dificuldades de qualquer missão!

O Portal Bombeiros.pt está muito satisfeito com o que viu e ouviu, pensou e sentiu (à boa maneira Garrettiana) na Madeira e prometemos continuar, nos próximos dias a “fazer crónica” sobre alguns aspectos que nos impressionaram e que merecem ser contados.

 




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).