Coronel da GNR vai assumir o comando operacional da Proteção Civil Nacional

0

Presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil já escolheu os comandantes operacionais da Proteção Civil

António Paixão que irá assumir o comando operacional da Proteção Civil Nacional fundou e liderou o grupo de intervenção, prevenção e socorro da GNR. Dirigia atualmente o comando territorial de Lisboa. O Coronel António Paixão é um dos oficiais de carreira mais antigos da GNR

Patrícia Gaspar assume o lugar de segundo comandante operacional.

O novo presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), tenente-general Mourato Nunes, prometeu no inicio de novembro, uma instituição “mais forte e qualificada”, avançando que “a grande reforma” não se pode basear “na simples exigência” de mais meios.

“A grande reforma que é necessária promover no sistema da proteção civil não pode basear-se na simples exigência da afetação de mais meios. O vetor estruturante deve ser a utilização mais racional e inteligente e em rede dos recursos que temos à nossa disposição e, daí, partir para a aquisição do que é prioritário e indispensável para o cumprimento da missão”, disse nessa altura Mourato Nunes.

Na cerimónia da sua tomada de posse como presidente da ANPC, o antigo comandante-geral da GNR adiantou que espera levar “por diante o projeto de mudança que fará a ANPC uma instituição mais ágil, mais próxima, mais qualificada e mais apta a servir os interesses de Portugal e dos portugueses”.

“Falar de mudança não significa necessariamente que tudo o que existe esteja mal, significa apenas que continuamente é preciso melhorar, apreender, renovar, adaptar, corrigir e, por vezes, até reconstruir para responder com oportunidade e eficácia às questões novas que nos são colocados”, sustentou, defendendo uma instituição forte e coesa.

Para esta reforma, Mourato Nunes sublinhou que “não basta apenas a vontade do comando da Proteção Civil”, sendo “fundamental um apoio concreto do poder político”.

“Em organizações com a dimensão e complexidade organizacional e dispersão de atuação da ANPC, as grandes reformas são feitas com as mudanças certas de pequenas coisas, desde que sejam as coisas certas no tempo certo aquelas que mudamos”, afirmou.

No seu discurso, Mourato Nunes adiantou que a ANPC vai “desenvolver e aprofundar a cultura do rigor, do profissionalismo e da exigência tendo como objetivo a qualidade e a excelência”.

Com Lusa




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.