Conselho Superior Consultivo da Liga demite-se em bloco

0

O Conselho Superior da Liga dos Bombeiros Portugueses, reuniu no passado dia 8 de abril, nos Bombeiros de Albergaria-a-Velha, para em conjunto analisarem a situação da renúncia do Presidente do Conselho Superior Consultivo (C.S.C), Eng. José António Laranjeira, para o cargo a que foi eleito.

A reunião que contou com a presença dos 22 Conselheiros, foi convocada para debaterem o facto de no ultimo congresso da Liga terem sido aprovados os novos estatutos que prevêem a extinção do órgão Social.

O portal bombeiros.pt contactou o Eng. José Laranjeira, presidente do C.S.C, que nos referiu que “Congresso é soberano nas suas decisões” porem confessou-nos que o Conselho Executivo, em particular, o seu Presidente, jamais teve o gesto “ético e nobre de confrontar o C.S.C. com  a sua proposta ao Congresso”,  referindo ainda que, Jaime Marta Soares, presidente da Liga de Bombeiros, “fez tábua rasa do efeito e do contributo, certamente positivo, que os componentes do C. S. C. tiveram na aceitação da lista onde ele foi  integrado e eleito conjuntamente.”

Os conselheiros foram duros nas criticas e referem ter sido “usados“ por conveniência eleitoralista e “descartados“, sem a mínima explicação. Na opinião do Eng. José Laranjeira, no cumprimento da sua estrita missão “o C.S.C. terá  começado a provocar incómodo ao Presidente do Conselho Executivo ao abordar trabalhos e temas que reputava de interesse para os bombeiros.”

Este incómodo começou a estar bem patente no modo como, por exemplo, a 19 de Maio de 2015, no ofício 575-S- GAP-15, o Presidente do Conselho Executivo se insurgiu perante o conteúdo da acta da reunião do C.S.C. realizada a 11 de Abril do mesmo ano. Nessa oportunidade, e porque, no rigoroso âmbito das suas competências estatutárias, o C.S.C. terá manifestado “preocupação e desagrado perante a sensação de que muita coisa vai acontecendo sem que os bombeiros sejam auscultados através das suas estruturas representativas. Por outro lado ressalta de muitas opiniões que a LBP não pode estar personalizada numa só pessoa, no caso, a do Presidente.

O incómodo do Presidente do Conselho Executivo, segundo o Eng. José Laranjeira, ficou suficientemente demonstrado ao ter respondido desta forma“acompanhar a actividade estratégica da Confederação, a pedido do Conselho Executivo, não é, não poderá ser, nem nunca será, produzir um libelo acusatório, sem nexo, o qual nem sequer lhe foi solicitado. A isso chama-se exorbitar as funções que lhe estão confiadas.“

Perante isto e depois de devidamente ponderados os factos, os 22 Conselheiros efectivos e suplentes, consideram que, não obstante a vigência do mandato do Órgão C.S.C. terminar no próximo Congresso eleitoral, deliberaram, em total e absoluta solidariedade, renunciar individualmente ao exercício dos cargos para que foram eleitos.

O portal bombeiros.pt tentou por diversos meios o contacto com o presidente da Liga dos bombeiros Portugueses no sentido de procurar obter alguma reacção, porem e passadas agora duas semanas não obteve qualquer comentário à demissão deste órgão.

O Conselho Superior Consultivo foi criado durante um dos mandatos do Doutor Duarte Caldeira, antecessor do actual presidente da Liga de Bombeiros Portugueses.

In Bombeiros.pt




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.