Combate a incêndios no Algarve mobiliza 553 operacionais na fase mais crítica

0

O dispositivo de combate a incêndios vai mobilizar este ano no Algarve, na fase de maior risco, um total de 553 operacionais, dos Bombeiros, Exército e forças policiais, anunciou hoje o comandante operacional de Agrupamento do Algarve.

Durante a apresentação do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) para a região, Vítor Vaz Pinto precisou que este ano, como habitualmente, o dispositivo alcança a sua maior mobilização na fase Charlie, entre 01 de julho e 30 de setembro, com 553 elementos e 133 veículos.

A partir de hoje, dia em que arranca a fase Bravo, que se estende até 30 de junho, entra em funcionamento um helicóptero ligeiro estacionado em Monchique, estando igualmente disponível um helicóptero bombardeiro pesado em Loulé até 15 de junho, dia em que é substituído por um helicóptero médio de ataque inicial.

A partir de 01 de julho, o Algarve passa a contar também com os helicópteros estacionados em Cachopo (Tavira) e em Ourique, no Alentejo, cujo raio de atuação também abrange a região do Algarve, acrescentou aquele responsável.

De acordo com Vítor Vaz Pinto, vai ser constituída este ano, para a região, uma Equipa de Análise e Uso do Fogo (EAUF) e também mais um Grupo de Combate a Incêndios Florestais (GCIF), sempre que seja declarado para a região o estado de alerta especial de nível laranja ou superior.

Haverá ainda mais duas equipas municipais de Intervenção Florestal, uma em Monchique e outra em Silves, e será reforçado o número de equipas de militares do Exército a executar ações de vigilância, que vão estender-se este ano, pela primeira vez, aos concelhos de Castro Marim e Tavira.

Vítor Vaz Pinto quer ainda alargar, este ano, a distribuição de um “kit” de alimentação a todas as forças envolvidas no combate aos incêndios e não apenas aos bombeiros, como já acontece, no Algarve, desde o ano de 2015.

Na fase Bravo, de 15 de maio a 30 de junho, estarão disponíveis 413 elementos e 92 veículos e, na fase Delta, de 01 a 31 de outubro, 320 elementos e 75 veículos.

DN




Sobre quem enviou a noticia

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.