Cobertura de despesas de bombeiros tem de funcionar o ano inteiro

0

O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, alertou hoje em Coimbra que a cobertura de despesas de bombeiros não está a funcionar o ano inteiro e defendeu que essa situação tem de ser alterada.

“Temos de ter capacidade 365 dias por ano. Em termos práticos [a Proteção Civil] funciona, mas em termos de cobertura de despesas não está a funcionar”, notou Jorge Gomes.

Para o secretário de Estado, não faz sentido que haja cobertura de despesas para um carro de bombeiros que ardeu em agosto, mas que não haja quando a mesma viatura é destruída em março.

“Ou eu penso errado ou estamos com diretivas financeiras completamente erradas”, frisou Jorge Gomes, que falava durante a apresentação do Plano de Operações do Dispositivo Especial Combate a Incêndios Florestais do Distrito de Coimbra.

Segundo o membro do executivo, é necessário que “a Proteção Civil funcione 365 dias por ano e que cubra todas as despesas durante o ano inteiro”.

Durante o seu discurso, o secretário de Estado notou que as cerimónias de apresentação dos planos de operações distritais para combate a incêndios deviam ser sessões “de motivação”, mas quase que parece que se está a “montar a estratégia” para se ir “para a guerra”.

“Temos de alterar este paradigma”, frisou, considerando que se deveria ter “uma floresta bem preparada para que não houvesse a necessidade” do combate aos fogos.

Quando “o combate entra em ação, tudo deixou de funcionar”, referiu.

(Fonte: DN)




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).