Câmara da Guarda investe 1,4 ME em Plano de Proteção da Floresta

0

A Câmara Municipal da Guarda vai investir até junho cerca de 1,4 milhões de euros em medidas de prevenção de incêndios rurais, no âmbito do Plano de Proteção da Floresta (PPF), foi hoje anunciado.

O autarca Álvaro Amaro (PSD) disse hoje na sessão de apresentação do plano que pretende chegar ao verão com a consciência “absolutamente tranquila” de que, por parte do município que lidera, tudo foi feito em matéria de prevenção, vigilância e defesa da floresta contra incêndios.

Segundo o responsável, o investimento que o município da Guarda vai realizar até meados de junho rondará os dois milhões de euros se forem tidas em conta as ações, já realizadas e em curso, de estabilização de taludes e de solos em áreas situadas junto de vias rodoviárias que foram atingidas pelos incêndios de 2017.

“Eu serei um presidente de câmara – hei de, se Deus quiser, chegar ao verão -, de consciência absolutamente tranquila. O município e o meu executivo, e todos os colaboradores, fizemos um bom trabalho de casa, creio eu. Hoje está apresentado [o Plano de Proteção da Floresta], estão muitas coisas em marcha, trabalharemos dia e noite para chegarmos ao verão de consciência tranquila de que fizemos tudo o que estava ao nosso alcance mesmo sem termos qualquer garantia de financiamento”, disse o autarca à agência Lusa.

O PPF contempla a manutenção e a criação de faixas de gestão de combustíveis confinantes com a rede viária e com os polígonos industriais e a plataforma logística da Guarda.

Estão também previstos investimentos relacionados com o arranjo de caminhos rurais, manutenção e beneficiação de pontos de água.

O documento contempla ainda a atualização de meios existentes nas freguesias ao nível de equipamentos de defesa da floresta contra incêndios (trator, retroescavadora, viatura todo o terreno, `kits` de incêndio, cisterna, destroçador, motosserra, motorroçadora, entre outros).

A Câmara Municipal da Guarda também irá “afetar dez funcionários” para trabalhos de silvicultura preventiva, segundo o seu presidente.

Entre outras medidas, estão igualmente contemplados apoios financeiros para as três equipas de sapadores florestais do concelho (valor total de 30 mil euros) e para as três corporações de bombeiros (valor global de 143 mil euros).

Álvaro Amaro disse na sessão de apresentação do PPF, onde estiveram autarcas, bombeiros, responsáveis da proteção civil e das forças de segurança, entre outros, que espera obter financiamento para as intervenções previstas, “para não haver dificuldades financeiras” no próximo ano.

“Se não formos ressarcidos de 1,4 milhões de euros até ao fim do ano, mais aquilo que temos a receber daquilo que já fizemos, o orçamento da Câmara Municipal da Guarda para 2019 vai ser a gemer”, vaticina.

O plano hoje apresentado “não é um plano fechado, ainda que seja um plano tendente a minimizar riscos”, disse o autarca, sublinhando que o seu principal aspeto é a “cooperação” das várias entidades envolvidas.

 

RTP




Sobre quem enviou a noticia

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.