Câmara acelera venda de quartel dos Bombeiros

0
Foto: Público

Foto: Público

Vai mesmo realizar-se esta terça-feira a votação do Plano de Pormenor que vai permitir à Câmara de Lisboa vender um terreno em Benfica que vale cerca de 15 milhões de euros. Helena Roseta, presidente da Assembleia Municipal, aceitou alterar a Ordem de Trabalhos, depois de feitas as devidas correcções.

Em causa estava a dúvida de que a hasta pública em que deverá ser alienado o terreno fosse uma verdadeira hasta pública, já que no Plano se previa que 80% da área fosse usada apenas para equipamentos por ser esse o fim que permitiria a ampliação do Hospital da Luz.

Uma vez que a Espírito Santo Saúde – dona do Hospital da Luz – tinha já manifestado a intenção de adquirir o lote para ampliar o hospital, ficou em causa a transparência do processo.

Helena Roseta entendeu, no entanto, que as alterações à proposta apresentadas pelo vereador Manuel Salgado são suficientes para garantir a legalidade.

“Foram rectificadas todas as referências ao lote 40 [onde está o quartel de Benfica dos Sapadores Bombeiros] que permitiam que ele viesse a ser exclusivamente dedicado a equipamentos, nomeadamente à extensão do Hospital da Luz, pretendida pelos interessados”, lê-se num despacho assinado ontem por Helena Roseta.

“Com estas alterações, o lote 40 pode ser destinado a ‘equipamentos e outros’, o que é compatível  com a proposta 348/CM/2014, relativa à colocação do mesmo lote em hasta pública”, escreve a presidente da Assembleia Municipal de Lisboa (AML)

Com a aprovação do Plano de Pormenor – que vai valorizar o terreno, permitindo o índice de edificabilidade máxima – , fica cumprido o primeiro passo para a venda, seguindo-se a aprovação da hasta pública propriamente dita.

A venda do terreno vai permitir encaixar 15 milhões de euros, mas obriga também a Câmara de Lisboa a demolir o quartel dos Sapadores Bombeiros que foi construído há apenas 10 anos.

Segundo os documentos anexos à proposta entregue na AML, a Câmara deverá construir um novo quartel, mais pequeno, num terreno contíguo ao que será vendido, identificado como “lote 30”.

(Fonte: Sol)

 




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).