Bombeiros Municipais de Braga sem quartel

0

municipais de bragaO Presidente da Câmara Municipal de Braga acusa o anterior executivo de ter “perdido a oportunidade” de conseguir financiamentos comunitários para construir um novo quartel para os Bombeiros Municipais devido ao “não cumprimento de requisitos básicos” inerentes à candidatura.

Em comunicado enviado hoje à agência Lusa, Ricardo Rio, que esta manhã visitou o quartel da Companhia de Bombeiros Municipais, revela que a Estrutura de Missão e Gestão de Fundos Comunitários, comunicação formal, esclarece que a candidatura apresentada pela liderança de Mesquita Machado “não cumpre os requisitos quanto ao grau de maturidade exigido” pelo quadro de fundos comunitários do Quadro de Referencia Estratégico Nacional (QREN).

Em declarações à Lusa, o ex-vereador do executivo de Mesquita Machado encarregue deste dossier, Hugo Pires, recusa a acusação de Rio e responde acusando-o de “folclore político” em torna da questão.

“O anterior executivo perdeu a oportunidade de obter um financiamento para a construção de um novo quartel, tão aguardado e merecido, devido ao não cumprimento de requisitos básicos inerentes à apresentação da candidatura deste projeto ao Programa Operacional Temático Valorização do Território (POVT), em julho do presente ano”, lê-se no texto.

Segundo o documento, “de acordo com comunicação formal, remetida ao Município de Braga a 24 de setembro de 2013, pela Estrutura de Missão Gestão de Fundos Comunitários, verificou-se que a candidatura não cumpre os requisitos quanto ao grau de maturidade exigido pelo Programa Operacional Temático Valorização de Território, inserido no quadro de fundos comunitários do QREN”.

Além disso, aponta o texto, “não foi tão-pouco considerada admissível a candidatura, por não estar evidenciado o ato de adjudicação do procedimento concursal para as ações mais relevantes da candidatura”, e que “a não demonstração do grau de maturidade mínimo definido é condição suficiente para a não admissibilidade da candidatura”.

Confrontado com a acusação de Ricardo Rio, o ex-vereador da Proteção Civil, Hugo Pires, responde acusando-o de “folclore político”.

Pires disse ainda não compreender o “fundamento do chumbo” do projeto.

“O projeto estava pronto e foi acompanhado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil ao longo do seu desenvolvimento”, garantiu.

Fonte: Porto Canal

About author

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).