Bombeiros de Folgosinho comemoraram hoje 80 anos de existência

0

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Folgosinho comemorou hoje o seu 80º. aniversário.

Fundada em 1937, a associação serve na sua área de atuação própria uma população de aproximadamente 800 habitantes, porem, tem uma vasta e enorme mancha florestal sendo uma das maiores do distrito da Guarda.

O corpo de bombeiros de Folgosinho, no concelho de Gouveia, conta neste momento com um quadro activo bastante jovem que quer e tem a capacidade para dar continuidade à instituição, contrariando as tendências dos problemas associados à desertificação do interior do País.

Nos habituais discursos o presidente dos bombeiros de Folgosinho, Nuno Pires, aproveitou precisamente para louvar os bombeiros pela sua entrega a esta causa humanitária e por quererem continuar a servir a sua população. Na presença do presidente da Câmara, Nuno Pires aproveitou a oportunidade para falar das dificuldades financeiras da instituição, chegando mesmo a referir que, o subsidio anual atribuído pelo município “não chega se quer, para pagar a conta anual da luz”, pedindo assim que a atribuição de subsídios beneficie também os bombeiros como beneficia outras colectividades a quem o município é mais atencioso!

Já o Vice-Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses e também presidente da Assembleia Municipal de Gouveia, Gil Barreiros feriu que “o apoio financeiro do governo é insuficiente” face às despesas que as associações do país têm, referiu ainda que o facto de os bombeiros serem “soldados da paz, leva a que abusem de vós” e que não podemos continuar de “mão estendida” à espera que o governo olhe para os soldados da paz com justiça.

No final do seu discurso, Gil Barreiros teve ainda oportunidade de referir que o problema dos incêndios, que este ano assolaram e assolam o país “nada vai ficar igual” querendo deixar transparecer mudanças na estrutura dos bombeiros portugueses.

Já Paulo Amaral, presidente da Federação Distrital de Bombeiros do Distrito da Guarda, deixou uma palavra de estimulo aos bombeiros de Folgosinho e do país, tendo em conta o período critico de trabalho árduo no combate às chamas que os soldados da paz travam todos os dias.

O presidente da Junta de Freguesia de Folgosinho, Fernando Henriques, lembrou e homenageou os fundadores da instituição e para alem de entregar de um donativo à associação, ofereceu uma placa de homenagem a todos aqueles que se voluntariam para  socorrer o seu semelhante, onde se pode ler “Não há nada mais forte que o coração de um voluntário”.

Por fim, o presidente do município de Gouveia e também presidente da Assembleia dos bombeiros de Folgosinho, Luís Tadeu, agradeceu o trabalho dos bombeiros em prol do seu concelho. Luís Tadeu referiu-se concretamente ao trabalho de abastecimento de água, que por esta altura faltou especialmente na cidade de Gouveia, mas também pelo trabalho que os bombeiros desenvolveram nas ultimas semanas no combate aos incêndios no concelho e fora dele. No final do seu discurso, Luís Tadeu, referiu que o município de Gouveia irá atribuir aos bombeiros de Folgosinho um subsidio extraordinário que ajudará na requalificação e manutenção do quartel.

A ausência da Autoridade Nacional da Proteção Civil não foi referida nos habituais discursos, porem foi notória perante a importância da data que marca a passagem dos 80 anos desta instituição.

 




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.