Bombeiros de Famalicão da Serra continuam à espera de quartel

0

bombeiros famalicão da serraOs Bombeiros Voluntários de Famalicão da Serra, no concelho da Guarda, continuam à espera de financiamento comunitário para poderem concretizar o sonho da construção do seu quartel.

A direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Famalicão da Serra, criada em 3 de Julho de 2007 e presidida por António Fontes, apresentou uma candidatura ao anterior quadro comunitário (QREN), mas a mesma não foi aprovada, pelo que espera candidatar a obra ao novo ciclo de fundos comunitários.

Os voluntários ocupam desde a sua criação um edifício, cedido pela Paróquia, que não tem condições de trabalho nem de operacionalidade e aguardam por financiamento para poderem construir o tão almejado quartel.

A direcção da corporação já deu todos os passos necessários para a execução da obra, avaliada em 770 mil euros, faltando apenas a comparticipação comunitária para a sua execução. O projecto do quartel, que ocupará uma área de 1.700 metros quadrados, contempla, entre outras áreas, garagens, oficina, secretaria, sala de comando e de direcção, salas de convívio e de formação, gabinete de comunicações, camaratas masculinas e femininas, entre outras áreas.

O Jornal A Guarda confrontou o novo presidente da Federação de Bombeiros do Distrito da Guarda, Paulo Amaral, com a situação dos Bombeiros de Famalicão, tendo o dirigente prometido trabalhar para ajudar a corporação a resolver o assunto da construção das novas instalações. “Tudo o que esteja relacionado com a vida dos Bombeiros é algo que nos preocupa. Obviamente que Famalicão da Serra é um quartel que necessariamente terá que ser apoiado”, afirmou o dirigente. Acrescentou dizendo que no próximo Quadro Comunitário, no Portugal 2020, “é uma obrigação da Federação estas preocupações serem partilhadas e serem intervencionadas”. No entender de Paulo Amaral, “qualquer Associação que esteja em défice, como está a de Famalicão da Serra”, terá que ser apoiada, assim como outras “que necessitam de se reajustar face à modernidade dos tempos, porque hoje não é concebível que um quartel dos Bombeiros não tenha uma camarata feminina, quando muito do grosso dos nossos bombeiros já são mulheres”. “Essas são preocupações que alguns quartéis de Bombeiros ainda têm. Portanto, tudo o que tenha a ver com a preocupação com o socorro e com a comodidade para quem faz o socorro, que são os nossos bombeiros, é uma preocupação que vai ser desta direcção e nós estaremos atentos a todas as solicitações que as próprias associadas nos façam sentir, para esses e outros problemas, e tentar resolver pelos canais que temos”, concluiu.

(Fonte: A Guarda/Bombeiros.pt)

 




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).