“Bombeiros estão a ser escravizados com alto patrocínio do MAI”

1

DSC_1459O Conselho Português de Proteção Civil acusou, numa nota enviada às redações, o Ministério da Administração Interna (MAI) e a Autoridade Nacional de Proteção Civil de nada fazerem para proteger os seus interesses e de os enganarem.

“Os bombeiros estão a ser escravizados com aparente corresponsabilidade governamental”, dá conta um comunicado de imprensa, em que se pode ler que “provavelmente terão de se ferir ou morrer mais alguns combatentes das chamas até que políticos e dirigentes de estruturas de bombeiros sejam responsabilizados criminalmente pelo facto de alguns dos muitos bombeiros que vemos no combate aos incêndios não possuírem equipamento de proteção individual e outros possuírem equipamentos que imitam equipamentos certificados, mas que não são certificados”.

“Até lá, continuam a atribuir a culpa a tudo menos à formação insuficiente e inadequada, bem como aos equipamentos aparentemente falsificados”, lamentam os representantes da classe, certos de que “bombeiros pagos a menos de dois euros por hora – que não são voluntários aos olhos da Lei 71/98 – só podem portanto ser trabalhadores mal pagos, ou mesmo escravizados com o alto patrocínio do Ministério da Administração Interna”.

Recorde-se que, esta segunda-feira, a ministra Anabela Martins deu uma conferência após uma reunião com a Autoridade Nacional da Proteção Civil, deixando claro que não está previsto um reforço de meios no combate aos incêndios e dizendo que os dispositivos têm sabido responder às adversidades.

Noticias ao Minuto

 




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.