Bombeiros discordam de ministra. Exigem penas mais pesadas para incendiários

0

marta_soares2“Defendo o aumento da penalização para os criminosos que incendeiam a nossa floresta, destroem o património nacional e matam pessoas”, afirma Jaime Marta Soares.

O presidente da Liga dos Bombeiros, Jaime Marta Soares, diz que não pode estar mais em desacordo com a ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, que rejeita a ideia de penas mais pesadas para incendiários.

“Defendo o aumento da penalização para os criminosos que incendeiam a nossa floresta, destroem o património nacional e matam pessoas”, afirma Jaime Marta Soares, em declarações à Renascença.

O responsável garante que defenderá “sempre aqueles que não têm voz, que a perderam morrendo num incêndio”, sublinha que não pode “estar mais em desacordo” com a ministra da Justiça e diz que vai provar-lhe porquê nos próximos dias.

Jaime Marta Soares e Paula Teixeira da Cruz têm opiniões diferentes em relação ao agravamento das penas para incendiários, mas estão de “totalmente de acordo” em relação à falta de prevenção nas florestas portuguesas, refere o presidente da Liga dos Bombeiros.

Paula Teixeira da Cruz disse esta segunda-feira que não vê necessidade de agravar as penas para o crime de incêndio florestal, porque o Código Penal já é bastante duro com esses casos e que o que interessa é apostar na prevenção.

Questionado pela Renascença, o presidente da Liga dos Bombeiros Jaime Marta Soares diz que se deve de facto investir na prevenção, mas que é preciso também agravar as penas.

A Polícia Judiciária anunciou hoje a identificação de mais um menor, um rapaz de 12 anos, como presumível autor de um incêndio florestal, domingo, nas imediações da Nave Desportiva de Espinho.

O jovem, que já anteriormente esteve num centro educativo, vai agora responder num novo  processo pelo alegado crime de fogo posto.

Para além da identificação deste menor em Espinho, durante o fim-de-semana a Polícia Judiciária fez mais duas detenções por fogo posto, ambas envolvendo mulheres: uma de 40 anos, em Ribeira de Nisa, distrito de Portalegre, suspeita de ter ateado um incêndio na passada sexta-feira, que só não teve consequências graves devido à pronta intervenção dos bombeiros. A outra suspeita, de 48 anos, foi detida no Lugar da Lameira, em Vila Real.

Na lista da Judiciária há agora quatro mulheres entre as 52 pessoas detidas este ano pelo crime de fogo posto.

FONTE: RR

 

About author

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.