Bombeiros de Portimão “mudam-se” para a área mais vulnerável do concelho

0
Foto: BV Portimão

Foto: BV Portimão

Um destacamento sazonal na Senhora Verde (Mexilhoeira Grande), próximo das áreas de maior perigo de incêndio rural no concelho de Portimão, guarnecido pelos Bombeiros e Sapadores Florestais do município, será ativado a partir desta terça-feira, 1 de julho, no início da fase mais complexa do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF).

O destacamento funcionará todos os dias no período mais propício ao desenvolvimento dos incêndios, que se prolonga até 30 de setembro.

É operacionalizado pelos Bombeiros Voluntários de Portimão e permite aproximar os meios de intervenção das áreas mais vulneráveis e distantes do centro urbano, diminuindo os tempos de resposta na altura do dia em que há condições mais favoráveis à rápida propagação dos incêndios.

No contexto de uma resposta integrada regional, a unidade possibilitará ainda antecipar a intervenção em situações que ocorram na serra de Monchique, uma das principais áreas críticas do Algarve, durante todo o período em que decorre a fase Charlie do DECIF.

O momento de início de funcionamento desta unidade estratégica, que ocupará as antigas instalações da Escola Primária da Senhora do Verde, devidamente adaptadas para o efeito pela Junta de Freguesia da Mexilhoeira Grande, será assinalado às 11h00 de 1 de julho pela presidente da Câmara de Portimão Isilda Gomes, enquanto Autoridade Municipal de Proteção Civil, numa sessão que contará com a presença dos diversos agentes de proteção civil e entidades que concorrem para a defesa da floresta contra incêndios.

O programa da cerimónia pública inclui um seminário técnico sobre a segurança no combate aos incêndios florestais, conduzido a partir das 9h00, naquele local, pelo adjunto de Comando dos Bombeiros de Portimão Filipe Pinto, seguido de uma apresentação sobre o dispositivo municipal e matriz de resposta realizada pelo Comandante Operacional Municipal Richard Marques, culminando com as intervenções das autoridades políticas de nível local e municipal.

O período crítico que amanhã começa impõe restrições no uso do fogo, puníveis por lei para todos aqueles que, intencional ou negligentemente, ignorem as regras impostas nos espaços florestais ou agrícolas nesta época, entre 1 de julho e 30 de setembro.

(Fonte: Sul Informação)

 

About author

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).